Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de novembro de 2016. Atualizado às 17h48.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Justiça

Alterada em 21/11 às 18h51min

Justiça aceita denúncia contra Basegio e assessores

Basegio foi denunciado nos crimes de organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e concussão

Basegio foi denunciado nos crimes de organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e concussão


JONATHAN HECKLER/JC
A 10º Vara Criminal da Justiça em Porto Alegre recebeu, nesta segunda-feira (21), uma denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MP-RS) contra o ex-deputado estadual Diógenes Luiz Basegio e outras cinco pessoas. 
Conforme a acusação do MP, entre os anos de 2011 e 2014, o ex-deputado e Neuromar Luiz Gatto, Stela Maris Severgnini de Queiroz e Álvaro Luís Ambrós fizeram parte de uma organização criminosa. A quadrilha tinha como objetivo, obter vantagem de qualquer natureza, especialmente econômica, mediante a prática de crimes contra a administração pública e lavagem de dinheiro.
As ilegalidades começaram a ser praticadas a partir da posse de Basegio em seu primeiro mandato como deputado estadual e da nomeação dos outros três como seus assessores, conforme aponta a denúncia. Os envolvidos se reuniam para planejar e colocar em ação a exigência de parcelas dos vencimentos de servidores, bem como a apropriação e desvio de verbas públicas referentes a diárias fictícias e da quase totalidade dos vencimentos de “funcionários-fantasmas”, explicou em nota o MP.
A denúncia foi apresentada em agosto de 2015 pelo procurador-geral de Justiça, Marcelo Dornelles, acusa o ex-deputado, Gatto, Stela Maris e Ambrós pelos crimes de organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e concussão. Outras duas pessoas - Janaína Ribeiro Silveira e Hedi Nelci Klein Vieira - respondem por peculato.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia