Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 29 de novembro de 2016. Atualizado às 08h18.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Literatura

Alterada em 29/11 às 09h21min

Açorianos de Literatura destaca novos nomes da área

Vencedores do Prêmio Açorianos de Literatura em Porto Alegre recebem troféus

Vencedores do Prêmio Açorianos de Literatura em Porto Alegre recebem troféus


Caroline da Silva/Especial/JC/
Caroline da Silva
As mulheres roubaram a cena na tradicional Noite do Livro. O título A modernidade impressa – Artistas ilustradores da Livraria do GloboPorto Alegre, da jornalista, crítica, professora e historiadora da arte Paula Ramos, foi o grande vencedor da 23ª edição do Prêmio Açorianos de Literatura Adulta e Infantil. Promovida pela Prefeitura da Capital, por meio da Secretaria da Cultura (SMC) e Coordenação do Livro e Literatura, a entrega dos troféus (escultura criada por Xico Stockinger) foi realizada em cerimônia na noite de segunda-feira (28), no Teatro Renascença, em Porto Alegre.
A publicação fruto de uma pesquisa de 15 anos, durante mestrado e doutorado de Paula Ramos, foi eleita como a melhor da categoria Especial e derrotou os outros concorrentes na maior distinção do evento: Livro do Ano. A autora ainda recebe um prêmio de R$ 10 mil. O projeto de A modernidade impressa, que incluiu ainda uma grande exposição no Margs, de junho a agosto, foi financiado por um edital da Petrobras de 2012.
Ao receber a distinção, a historiadora lembrou do momento difícil de se fazer cultura no Estado e no País, inclusive detalhando que o incentivo da estatal hoje não existe mais. Paula ainda reforçou o caráter coletivo da obra e se emocionou ao comparar o período áureo da então gaúcha Livraria do Globo na primeira década do século XX frente à produção artística atual.
Em 2016, ocorreu também a entrega do 7º Prêmio Açorianos de Criação Literária, neste ano no gênero Narrativa Longa, escolhendo um texto inédito para ser publicado pela Editora da Cidade (SMC/PMPA), além de uma premiação em dinheiro no mesmo valor da anterior.
A tônica da noite teve discursos políticos, valorizando a ascendência africana, a temática homossexual e mais críticas aos governos Sartori e Temer. Claudia Tajes, destaque em Crônica, clamou pela permanência das Fundações no Estado, fazendo uma referência ao Hino do Rio Grande do Sul: “Povo que não tem cultura acaba por ser escravo”. Eliana Marques, vencedora em Poesia, agradeceu ao mestre Ronald Augusto e dedicou: “Este prêmio não é meu, é de todas as mulheres negras, de ontem, hoje e amanhã”.
Outra menção que não poderia faltar é à jovem escritora Natalia Polesso, agraciada com o Açorianos de Conto. Seu título, Amora, ganhou um Jabuti recentemente como 1º lugar em Contos e Crônicas.
O professor de Literatura da Ufrgs Ruben Castiglioni, membro do Júri Final – que indica o Livro do Ano entre os vencedores das várias categorias literárias – justificou, ao final da cerimônia, a láurea para A modernidade impressa. Comentou a qualidade da pesquisa histórica, em uma publicação de padrão europeu, além de ser bem escrito, com uma linguagem gostosa de ler.

Lista completa dos vencedores em cada categoria:

  • Ensaio de Literatura e Humanidades: Nós cultuamos todas as doçuras, de Marília Floor Kosby, Editora Escola de Poesia
  • Capa: Carne Nua, de Mônica Montanari, capa de Ernani Millan Carraro, Editora Belas Letras
  • Projeto Gráfico/Design: A menina e o monstro, de Martina Schreiner, Projeto Gráfico/Design de Martina Schreiner, Edição da Autora
  • Infantil: Então quem é?, de Christina Dias, Ilustrações de Rafael Antón, Editora FTD 
  • Infantojuvenil: Precisava de você, de Pedro Guerra, Editora Belas Letras
  • Crônica: Partes Íntimas, de Claudia Tajes, Arquipélago Editorial 
  • Conto: Amora, de Natalia Borges Polesso, Não Editora
  • Poema: E se alguém o pano, de Eliane Marques, Editora Escola de Poesia
  • Narrativa Longa: O ano em que vivi de literatura, de Paulo Scott, Editora Foz
  • Especial: A modernidade impressa, de Paula Ramos, UFRGS Editora
  • Finalistas do Prêmio Açorianos de Criação Literária (Narrativa Longa) 2016: O tríptico de Elisa, de Arthur Beltrão Telló
  • Livro do Ano: A modernidade impressa, de Paula Ramos, UFRGS Editora
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia