Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de novembro de 2016. Atualizado às 08h38.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

segurança pública

Notícia da edição impressa de 24/11/2016. Alterada em 23/11 às 23h35min

FEE lança aplicativo com dados da criminalidade gaúcha

Renan Xavier elaborou o CrimeVis em cerca de cinco meses

Renan Xavier elaborou o CrimeVis em cerca de cinco meses


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Isabella Sander
Apesar da ameaça de extinção diante do pacote de mudanças profundas propostas pelo governador José Ivo Sartori, a Fundação de Economia e Estatística (FEE) segue trabalhando - tanto é que lançou ontem o aplicativo CrimeVis, com grandes chances de auxiliar na elaboração de políticas públicas na área da segurança pública. O programa, criado pelo estatístico Renan Xavier, da fundação, apresenta de maneira simples e interativa os dados anuais coletados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) relativos à criminalidade em todos os municípios gaúchos.
Algumas das questões respondidas pelas informações existentes no aplicativo são, por exemplo, como está a visão dos crimes em todos os municípios do Estado, ou como está a evolução de diferentes crimes nas cidades, ou se o número de ocorrências tem aumentado em um local específico. Outro tipo de visão que o CrimeVis permite é a relação entre diferentes crimes. "É possível montar um gráfico no qual o usuário consegue saber, por exemplo, se um município com alto índice de homicídio doloso tem muito roubo também. Essa relação criminal viabiliza uma visão mais macro do fenômeno do crime nos municípios gaúchos", cita Xavier.
O aplicativo possui, ainda, uma ferramenta que permite a criação de grupos de municípios com alta similaridade entre si nas taxas criminais. Além disso, é possível fazer um mapa dinâmico interativo, no qual o usuário pode visualizar a prática criminal nos municípios. Também há uma funcionalidade voltada para a relação espacial, mostrando se os dados de uma cidade afetam os das localidades vizinhas.
Na área de representação, o cidadão pode ver um gráfico que mostra qual a participação de cada cidade gaúcha no total do Estado, para todos os crimes. Por fim, trás tabelas dinâmicas, que podem ser baixadas pelos usuários.
Por enquanto, a FEE trabalha com dados anuais da SSP, mas a intenção é ampliar para informações semestrais. "O potencial da ferramenta utilizada para fazer esse aplicativo é muito poderoso. Com esse instrumento, é possível fazer a análise de qualquer tipo de dado e ter qualquer tipo de visão", ressalta o estatístico.
Mesmo complexo, o programa foi formulado por Xavier em cerca de quatro a cinco meses. O aplicativo é gratuito. "Se fosse feito com uma consultoria privada seria algo muito custoso", defende o estatístico. Contudo, se a FEE for extinta, esse tipo de serviço precisará ser pago. "Como a segurança pública é prioridade do governo do Estado, é um produto que vem a calhar nesse mote. A sociedade demanda trabalhos nesse sentido. O Rio Grande do Sul precisa cada vez mais investir nessa área, e a FEE está sendo protagonista ao lançar um produto absolutamente inovador", garante. O aplicativo pode ser acessado por qualquer pessoa no site http://shiny.fee.tche.br/CrimeVis/.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Ingrid Leiria 24/11/2016 08h12min
Parabéns aos envolvidos na criação deste aplicativo! Ainda mais por disponibilizar uma maior quantidade de informações à população de maneira fácil e rápida.