Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 23 de novembro de 2016. Atualizado às 19h18.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

liga dos campeões

Alterada em 23/11 às 20h20min

Napoli decepciona torcida e fica no empate sem gols com o Dínamo de Kiev

O torcedor que foi ao estádio San Paolo, em Nápoles, nesta quarta-feira, saiu muito decepcionado com o que viu em campo. Com pouca criatividade no ataque, o Napoli não conseguiu furar a retranca do Dínamo de Kiev e ficou no empate sem gols com os ucranianos, pela quinta rodada do Grupo B da Liga dos Campeões da Europa. O resultado deixa a situação napolitana um pouco mais complicada na tabela de classificação.
Agora com oito pontos, o Napoli divide a liderança com o Benfica - que mais cedo empatou com o Besiktas por 3 a 3, na Turquia, depois de estar vencendo por 3 a 0 -, mas fica na frente pelo saldo de gols (2 a 1). O clube turco é o terceiro colocado, com sete pontos, e, assim, os três irão para a última rodada com chances de classificação às oitavas de final.
No dia 6 de dezembro, o Benfica receberá o Napoli, no estádio da Luz, em Lisboa, e o Besiktas viajará para a Ucrânia para enfrentar o lanterna e já eliminado Dínamo de Kiev (dois pontos). Um empate basta para os italianos, já que o confronto direto é o primeiro critério de desempate. Neste grupo, o Napoli leva a melhor sobre o Benfica, o Benfica leva a melhor sobre o Besiktas e o Besiktas leva a melhor sobre o Napoli.
Em campo, mais uma vez o Napoli sentiu a falta do centroavante Milik, que sofreu uma lesão grave no joelho direito jogando pela Polônia, em outubro, e só voltará a jogar no início do ano que vem. Para furar a forte defesa ucraniana, era preciso um homem de área como o polonês, que na estreia napolitana na Ucrânia, em setembro, havia marcado os dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o Dínamo de Kiev.
Com três jogadores de velocidade na frente - o espanhol Callejón o belga Mertens e o italiano Insigne -, o máximo que o Napoli conseguiu foram alguns contra-ataques, sem eficiência, e chutes de longa distância, bem defendidos pelo goleiro Artur Rudko.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia