Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de novembro de 2016. Atualizado às 21h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Serviços

Notícia da edição impressa de 29/11/2016. Alterada em 28/11 às 22h37min

Dados apontam para adiamento da retomada

A piora nas expectativas dos empresários do setor de serviços indica o adiamento do processo de retomada da atividade econômica no País para 2017, avalia Silvio Sales, consultor do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e responsável pela Sondagem de Serviços. A redução do índice de confiança, que caiu pelo segundo mês consecutivo, vem sendo puxada pela frustração das expectativas, que esfriaram após seis meses de avanço significativo.
"Não está claro ainda o início de uma estabilização na atividade econômica e muito menos o início do processo de reação, que será gradual mas vem sendo postergado", diz Sales. O Índice de Confiança de Serviços (ICS) recuou 1,4 ponto na passagem de outubro para novembro, para 77,5 pontos, na série com ajuste sazonal. O Índice de Situação Atual (ISA-S) caiu 0,6 ponto em novembro, para 70,9 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE-S) diminuiu 2,2 pontos, para 84,5 pontos. O descolamento entre as expectativas e a avaliação do momento presente está diminuindo, mas por conta do ajuste para baixo da percepção dos empresários do setor sobre o futuro.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia