Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 27 de novembro de 2016. Atualizado às 19h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio

25/11/2016 - 16h57min. Alterada em 25/11 às 17h08min

Black Friday movimenta o comércio, mas vendas decepcionam lojistas

Data de descontos no varejo movimentou o Centro de Porto Alegre nesta sexta-feira

Data de descontos no varejo movimentou o Centro de Porto Alegre nesta sexta-feira


MARCO QUINTANA/JC
Amanda Jansson Breitsameter
A promessa de bons descontos no comércio em razão da Black Friday levou muita gente ao Centro de Porto Alegre na tarde desta sexta-feira (25). Na rua dos Andradas, o movimento durante a tarde era intenso. Ainda assim, dentro das lojas os resultados não são tão animadores.
Conforme Sirlei Pertuzzatti, gerente da Famosa, loja de calçados, a alta nas vendas ficou longe do resultado de 2015. "No ano passo, conseguimos um aumento de 40 a 50% nas vendas na Black Friday. Neste ano, se alcançarmos 10% de alta, vai ser muito", afirma.
Na Belshop, loja de produtos de beleza e cosméticos, a impressão é a mesma. "As pessoas compram, mas gastam muito pouco. Apesar do movimento, não estamos notando tanta alta nas vendas", afirma Camila Selau, subgerente de uma loja da rede localizada na Andradas.
Para ela, ainda assim, a data atrai os clientes, curiosos com as promoções, que gostam de conferir as novidades e os preços, além de aproveitarem os descontos das lojas físicas para comprar mais barato e evitar o frete do e-commerce. "Comprar diretamente na loja tem a vantagem de poder tirar dúvidas com o atendente, além de sair com o produto na mão", destaca Camila.

Conforme Sirlei, apesar de movimento, vendas na Black Friday deste ano decepcionaram. Foto Marco Quintana/JC

Na loja da Claro na mesma rua, o chamariz é o plano de internet com desconto. "As pessoas até buscam saber preços dos aparelhos, mas o que realmente chama a atenção é o valor do plano", explica a gerente do local, Gisele Aparecida Ezequiel.
Mais cedo, o Sindilojas Porto Alegre havia afirmado que o movimento nas lojas é intenso. Um levantamento com os lojistas pode ser feito pelo sindicato na próxima semana. Para atender ao movimento do dia, as lojas de shopping e de rua da Capital podem funcionar até as 23h59min nesta sexta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
PAULO 25/11/2016 20h14min
A SITUAÇÃO JÁ ESTÁ DIFÍCIL,..... E AS "PROMOÇÕES", PURA ENGANAÇÃO!....TEM QUE VENDER NADA MESMO!
Afranio Mercer Henrique 25/11/2016 19h39min
O comércio do Brasil teve a amostra que precisava. Hoje foi a constatação da quebradeira que o aguarda, tudo pela mudança brusca numa economia que estava nos trilhos e agora caminha para sua destruição. O que se vê, aqui de fora é a desmoralização total do nosso querido país. Os brasileiros têm que reagir e expulsar esses governantes que estão entregando o poder econômico aos estrangeiros para voltar a crescer. A indústria será a próxima vítima.