Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de novembro de 2016. Atualizado às 18h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 21/11 às 19h15min

Com alívio no exterior, dólar recua a R$ 3,35 em quarta baixa consecutiva

O ambiente mais favorável ao risco no exterior abriu caminho para valorização de moedas de economias emergentes, incluindo o real e o peso mexicano. No mercado à vista, o dólar fechou em queda de 1,00%, aos R$ 3,3526, nesta segunda-feira (21), acumulando baixa de 2,67% em quatro sessões. De acordo com dados registrados na clearing da BM&F Bovespa, o volume de negócios somou US$ 576,246 milhões.
O alívio lá fora, com atenuação do efeito Trump nos mercados, pode ser observado no Dollar Index, que recuou pela primeira vez após dez sessões, isto é, desde a escolha do novo presidente nos Estados Unidos. O Dollar Index, por sua vez, recuava 0,19%, aos 101,020 pontos.
A alta dos preços de petróleo também ajudou as moedas de mercados emergentes. Entre os principais movimentos, especialistas citaram a queda de 0,91% do dólar frente ao peso mexicano e a baixa de 1,07% frente ao peso colombiano no final da tarde.
Por aqui, a divisa norte-americana acumulou a quarta baixa consecutiva frente ao real numa sessão que, diferentemente dos pregões anteriores, não contou com injeção de "dinheiro novo" pelo Banco Central através de oferta adicional de contratos de swap cambial tradicional.
No fechamento do mercado futuro, o dólar para dezembro encerrou aos R$ 3,3640, em queda de 0,97%, com giro de US$ 12,203 bilhões.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia