Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 18 de novembro de 2016. Atualizado às 11h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

Notícia da edição impressa de 18/11/2016. Alterada em 18/11 às 12h42min

Alemães e italianos buscam cooperação com Rio Grande do Sul

Sartori encontrou-se com Luca Zaia, avançando em intercâmbio entre escolas de vitivinicultura

Sartori encontrou-se com Luca Zaia, avançando em intercâmbio entre escolas de vitivinicultura


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Patrícia Comunello
Alemães e italianos dividiram as atenções nesta quinta-feira no Estado. Comitivas de regiões dos dois países tiveram encontros no Palácio Piratini e visitas a setores econômicos e culturais, como a Serra gaúcha. Já estão sendo ativados intercâmbios e estudos em áreas como meio ambiente, saneamento e cooperativas, com a região alemã da Saxônia, e em vitivinicultura com o Vêneto, na Itália. O Vêneto foi origem do maior fluxo de imigrantes italianos ao Rio Grande do Sul, na segunda metade do século 19.  
A visita do presidente da região, Luca Zaia, é marco, pois, segundo o Consulado Geral da Itália em Porto Alegre, é a primeira vez que uma autoridade neste nível do Vêneto vem ao Estado. Zaia também retribuiu a agenda que o governador José Ivo Sartori fez em Veneza, capital da região. Sartori finalizou na cidade repleta de canais a missão à Europa, com passagem pela Alemanha, França e Itália, em outubro. "Vim retribuir a visita de Sartori e vamos ter colaboração em escolas e tecnologia que são muito importantes", frisou Zaia. "O Vêneto também não esquece que tem muitos cidadãos neste território."
Entre os temas tratados está o intercâmbio entre a escola de enologia mais antiga do mundo, a Scuola Enologica di Conegliano, e o Instituto Federal de Rio Grande do Sul (IFRS), campus Bento Gonçalves, que tem formação na área. A intenção é promover a troca de experiências de ensino, pesquisa e extensão nas áreas da vitivinicultura e enologia. A iniciativa tem a parceria do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), governo gaúcho e Unipampa de Dom Pedrito. A ideia é promover o intercâmbio de alunos e enólogos, profissionais e empresários nas épocas de safra e colheita por meio de Arranjos Produtivos Locais (APLs) em áreas como agroindústrias e vitivinicultura.
Delegação gaúcha participará da Feira Vinitay, mostra internacional de vinho, na segunda semana de abril de 2017. Sartori indicou interesse ainda em intercâmbio para conhecer o desenvolvimento de turismo rural, enoturismo e gastronomia, além da produção de maquinário de pequeno porte voltado a agricultura familiar que produz vinho que são fortes no Vêneto. 
É a terceira rodada de conversas entre o governo do Rio Grande do Sul e representantes da Saxônia. As duas primeiras em viagens à Alemanha. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia gaúcho, Fábio Branco, foi ao país em abril deste ano. Nesta semana, uma missão do governo da região e com empresas desembarcou para aprofundar tratativas em áreas como energias renováveis, agricultura (sanidade animal), manejo água e solo e sistemas de gestões pública e cooperativista. A definição ocorreu durante encontro entre o governador e o secretário do Meio Ambiente e Agricultura da saxônia, Thomas Schmidt.
"Estamos trocando informações para identificar os setores estratégicos para trabalhar", afirmou Schmidt. "Já existem projetos andando em cooperativa e gestão de água. O mais importante é que não se começa do zero", observou o secretário alemão. A aproximação entre os dois estados iniciou em abril de 2015, com a visita do secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, à Schmidt, na Alemanha. Esta é o quarto encontro, e a segunda vez no Estado. "O importante é preparar o trabalho de cooperação e, quem sabe, coroar os futuros acordos durante no seminário Brasil-Alemanha, em novembro de ano que vem, em Porto Alegre", afirmou Sartori. Schmidt disse que as tratativas de governo hoje são feitas apenas com o Rio Grande do Sul. O secretário também vai a Santa Catarina nesta sexta-feira. 
Além de representantes do governo da Saxônia, integram o grupo pesquisadores e empresários das áreas de interesse comum entre os estados. A comitiva participa de rodadas de negócios entre empresários gaúchos e alemães e workshop, promovido pela Câmara Brasil-Alemanha, em Porto Alegre. Em 2017, a Capital gaúcha será sede do 35º Encontro Econômico Brasil Alemanha, em novembro, que deve atrair mais de 500 empresários do país. Branco ressaltou que as conversações com a região estão sendo aprofundadas entre as equipes locais e da reunião. "A vinda do secretário e empresas já demonstra o claro interesse e vamos firmar termos de cooperação nas áreas estratégicas", projetou o titular da pasta de Desenvolvimento, indicando segmentos de máquinas e automotivo como focos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Gabriel 18/11/2016 02h29min
Em tempos de crise, notícias como essa de colaboração para o desenvolvimento são tão bem vindas. Enfim boas novas!