Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de novembro de 2016. Atualizado às 07h19.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Petróleo cai após vitória de Trump, mas apaga fortes perdas da madrugada

Os futuros de petróleo operam em baixa nesta manhã, mas depois de apagarem a maior parte das fortes perdas que exibiram durante a madrugada em reação à vitória do republicano Donald Trump na eleição presidencial dos EUA.

Às 7h58min (de Brasília), o petróleo Brent para janeiro tinha queda marginal de 0,04% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 46,02 por barril, enquanto o WTI para dezembro recuava 0,27% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 44,86 por barril.

Nas primeiras horas do dia, o petróleo chegou a cair mais de 3%, em meio a indicações de que Trump venceria a disputa contra a adversária democrata, Hillary Clinton, e seguindo a turbulência vista em outros mercados financeiros.

Neste começo de manhã, porém, a volatilidade nos mercados diminuiu após Trump elogiar Hillary e adotar tom conciliatório no discurso de vitória, favorecendo as commodities.

O petróleo também é pressionado pela última pesquisa da associação de refinarias conhecida como American Petroleum Institute (API). Ontem, o API estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA cresceu 4,4 milhões de barris na semana passada.

Mais tarde, a atenção dos investidores vai se voltar para a pesquisa oficial, do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano. Analistas preveem que o levantamento do DoE mostrará aumento de 900 mil barris nos estoques de petróleo bruto dos EUA na semana até 28 de outubro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia