Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 08 de novembro de 2016. Atualizado às 21h39.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

08/11/2016 - 21h24min. Alterada em 08/11 às 22h39min

Dólar avança ante rivais em dia de eleições nos EUA

O dólar avançou diante de seus principais rivais nesta terça-feira (8), ao passo em que os investidores observavam as eleições presidenciais dos Estados Unidos.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar subia para 105,13 ienes, de 104,53 ienes na tarde de ontem; o euro caiu para US$ 1,1019, de US$ 1,1045.
Muitos investidores veem a candidata democrata Hillary Clinton como a candidata "Status quo" e avaliam que é pouco provável que suas políticas projetem muita volatilidade no mercado. Enquanto isso, analistas comentam incertezas sobre se as propostas de Trump podem ferir o dólar e outras moedas sensíveis ao risco, como o peso mexicano.
A última rodada de pesquisas nacionais mostrou Hillary ligeiramente à frente de Trump.
O peso mexicano, visto como a divisa mais vulnerável ao resultado das eleições, subiu mais de 1% ante o dólar nesta terça-feira. A perspectiva de vitória de Trump é prejudicial para a moeda do México, uma vez que o candidato direcionou ataques ao país vizinho durante boa parte de sua campanha. Hoje o dólar recuou para 18,4115 pesos mexicanos.
"Basicamente, os mercados estão precificando uma chance de 80% a 85% de Hillary sair vitoriosa", disse Mark McCormick, estrategista da FX Strategy at TD Securities. "Se virmos qualquer surpresa, teremos variações no dólar".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia