Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 07 de novembro de 2016. Atualizado às 16h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 07/11 às 17h36min

Ouro fecha em queda em meio à maior chance de Hillary vencer eleições

Os preços do ouro recuaram nesta segunda-feira (7) em meio a uma tranquilidade depois que o FBI livrou a candidata democrata Hillary Clinton do risco de acusações criminais no caso dos e-mails enviados de um servidor privado quando ela era secretária de Estado e reforçou a expectativa de vitória sobre o republicano Donald Trump na disputa de amanhã à Casa Branca.
Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro para dezembro fechou em queda de 1,9%, a US$ 1.279,40 por onça-troy, o nível mais baixo em mais de uma semana.
Na véspera da eleição americana, a notícia de que o FBI não encontrou evidência de crime nos novos e-mails de Hillary Clinton deu mais combustível à democrata na corrida eleitoral.
Uma pesquisa da rede NBC divulgada hoje mostra Hillary com 47% das intenções de voto e Trump, com 41%. Outra sondagem, da CBS e do jornal The New York Times, traz a democrata com 47% e o republicano com 43%. Um levantamento da Investor's Business Daily (IBD) e da TechnoMetrica Market Intelligence (TIPP), entretanto, aponta Trump com 43,1% das intenções, mais de dois pontos porcentuais à frente de Hillary, que tem 40,7%. Com a margem de erro, de 3,1 pontos porcentuais, os dois estão tecnicamente empatados.
O ouro tem estado no centro das negociações relacionadas com as eleições, juntamente com o dólar, o peso e outras moedas ligadas à forma como os investidores esperam que um novo presidente impacte os mercados globais. Nos últimos 10 dias, o ouro teve uma série de oscilações coincidentes com revelações sobre uma nova investigação do FBI contra Hillary Clinton no caso dos e-mails enviados de um servidor privado.
A volatilidade implícita no ouro quase dobrou nas últimas duas semanas diante da incerteza política nos EUA, de acordo com a corretora FXTM. Muitos analistas acreditam que uma vitória de Hillary à Casa Branca, contra o candidato republicano Donald Trump, ofereceria mais estabilidade aos mercados, ajudando a demanda por ativos mais arriscados. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia