Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de novembro de 2016. Atualizado às 22h03.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 22/11/2016. Alterada em 21/11 às 20h21min

Extinção da FEE

Em relação à matéria Para Brum Torres, extinguir a FEE seria 'um desastre' (Jornal do Comércio, 21/11/2016), a Fundação de Economia e Estatística é uma instituição com funcionários competentes e realiza estudos relevantes para o planejamento e a administração estadual. Quem ganha com o fechamento da FEE? Só as consultorias particulares: caras e com o perigo da falta de isenção. Quem perde? A sociedade, a academia e em especial os gestores públicos. (Sônia Unikowsky Teruchkin, Porto Alegre)
Privatizações
E o Brasil, Rio Grande do Sul incluso, vai às vendas: a BR Distribuidora, uma das subsidiárias mais rentáveis da Petrobras, está sendo vendida; a Liquigaz segue o mesmo caminho e, como resultado, haverá, cada vez mais, a formação cartéis (ruim para os consumidores), cartéis estes já em pleno funcionamento nas áreas de telefonia e energia elétrica, com preços altos e serviços fracos. As estradas seguem o mesmo rumo - preços de pedágios muito acima dos serviços prestados. Agora, o governador José Ivo Sartori (PMDB) vem com a mesma e velha fórmula - vender patrimônio público, ideia primária e colocada em prática pelo ex-governador Antonio Britto (PMDB, 1995-98). Os resultados estão aí, um Estado fraco e inerte. Isto nem investimento é - não passa de venda de ativos. Porém, nunca se fala no que seria realmente importante: ser feita uma auditoria nos gastos públicos. Afinal, que diabos está acontecendo com os valores de impostos e taxas arrecadados, que, com se sabe, são muito altos em relação ao PIB nacional? (Julio Elmar Vargas, economista)
Preço dos alimentos
Não entendo o motivo pelo qual as frutas e legumes vendidos nas ruas custam mais barato do que os mesmos produtos em supermercados. Dirão que é por conta dos encargos, especialmente impostos, que recaem sobre frutas e tudo o que é vendido nas redes supermercados. Mas, pagar quase R$ 10,00 por simples abacate e pequeno, convenhamos, é uma demasia. (Maria Olinda de Freitas, Porto Alegre)
Donald Trump
Donald Trump é o 45° presidente dos Estados Unidos. É um presidente republicano. É o 19º presidente republicano. Foram 16 presidentes democratas, oito de outros partidos, e um federalista, e um sem partido (o primeiro foi George Washington). Trump, agora, é o novo xerife do mundo, é o irmão mais novo do Tio Sam, é o Tio Trump. Lincoln, Grant, Eisenhover, Bush (pai e filho), Reagan e outros foram presidentes republicanos. No dinheiro norte-americano - o dólar - está estampado Em Deus nós confiamos. Portanto, em Trump nós confiamos. (Edgar Granata, advogado, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia