Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 27 de novembro de 2016. Atualizado às 21h08.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Com a palavra

Notícia da edição impressa de 28/11/2016. Alterada em 25/11 às 20h17min

Imaginarium dribla a crise e deve fechar o ano com 20% de crescimento em vendas

Newton Ribeiro, presidente da rede de lojas de presente Imaginarium

Newton Ribeiro, presidente da rede de lojas de presente Imaginarium


IMAGINARIUM/DIVULGAÇÃO/JC
Adriana Lampert
Quando assumiu a presidência da Imaginarium, em abril de 2015, o empresário Newton Ribeiro estava ciente de que iria enfrentar anos difíceis para o varejo. Sócio da consultoria de gestão Visagio - envolvida em encontrar soluções para mais de 40 empresas - naquele ano, foi responsável pela avaliação dos potenciais investimentos da rede de franquias conhecida por seus produtos criativos e exclusivos, uma vez que já integrava o time da Imaginarium desde 2012, quando se associou ao negócio. Carioca, casado, pai de uma menina de um ano, Ribeiro aceitou o desafio de tomar a frente da empresa e conseguiu driblar a crise que afetava o comércio fechando dezembro do ano passado com a marca faturando R$ 200 milhões, um crescimento de 6,5% em relação a 2014. Consolidada como líder em presentes inovadores no mercado brasileiro, além de ser reconhecida nacional e internacionalmente por antecipar conceitos e tendências em eletrônicos e utilitários, a Imaginarium completou 25 anos em 2016, lançando 400 novos itens por ano em média. Atualmente, a marca contabiliza 202 operações exclusivas por todo o País, sendo que 189 lojas estão localizadas em shoppings e 11 funcionam na rua. E não para por aí: cerca de 30 unidades franqueadas estão previstas para serem inauguradas até 2017, avisa o gestor, que é Engenheiro de Produção formado pela UFRJ, e tem mestrado em Engenharia de Gestão, realizado no Instituto Politécnico de Turim, na Itália.
JC Empresas & Negócios - Quais foram as estratégias que a Imaginarium adotou para alcançar um bom desempenho mesmo frente à crise que afetou o varejo nestes últimos dois anos?
Newton Ribeiro - Quando assumi a presidência, em 2015, a empresa vinha numa situação boa, muito bem constituída, com bom nível de profissionalização, eles queriam evoluir, sem ruptura, agregar outras frentes que tinham competências diversas. Mas o cenário econômico estava muito difícil, com a crise de consumo caminhando para o seu auge, e o dólar disparando, enquanto as vendas caíam. Esse foi um ponto extra: temos um percentual alto de produtos importados, que gera impacto grande nos custos. Então, tínhamos um cenário muito desafiador no ponto de vista externo. Mas conseguimos ter um ano muito bom, e 2016 está sendo melhor ainda. Apesar da crise de mercado, a Imaginarium está bem descolada neste sentido. Mas nunca tem um único fator para isso. São vários. Uma das coisas que fizemos foi relacionada ao câmbio. Nosso custo estava subindo, então, ao invés de repassar para os consumidores (uma vez que o dólar disparou em 2015), assumimos uma perda de margem para manter os preços dos produtos competitivos e preservarmos a margem do nosso franqueado, que já estava sofrendo na ponta. Outra coisa que fizemos, no Natal do ano passado, foi aumentar a oferta de produtos com preços mais baixos (os de R$ 39,00 a R$ 79,00) que representam uma parcela maior das nossas vendas. Então, o ticket médio diminuiu. Mas aumentamos muito o fluxo, a quantidade de atendimento das lojas.
Empresas & Negócios - O crescimento e desempenho devem se repetir em 2016?
Ribeiro - Vai superar. Para ter uma ideia, neste ano aumentamos em 15% as vendas em relação ao ano passado. Fizemos renegociação com fornecedores e revisamos contratos para redução de custos. Outra mudança importante que ocorreu foi na linha de produto, com uma renovação no processo. Passamos por um modelo de criação mais descentralizado, dando mais autonomia para o time criativo, os designes, que formam uma turma de jovens com boas ideias. Quando eles têm autonomia para criar de forma mais livre, tudo flui melhor e os resultados são gratificantes. Este ano, aumentamos 30% a quantidade de novos produtos criados, justamente por isso. Adotamos um modelo de autonomia para cada etapa, com o grupo sênior repassando apenas as orientações.
Empresas & Negócios - Quantas pessoas estão envolvidas no processo criativo?
Ribeiro - A empresa emprega 250 pessoas, boa parte trabalha nos times criativos. Já os funcionários de franqueados chegam a 2 mil pessoas. Como não poderia deixar de ser, temos ainda um escritório na China, o maior fornecedor de produtos diferentes do mundo. Por sinal, desde que passamos a trabalhar com os chineses, em 2008, ampliamos muito nossa oferta de alternativas de presentes.
Empresas & Negócios - Acredita que a inovação e a criatividade direcionada aos produtos também são diferenciais que podem ajudar em momentos de crise no varejo, tornando a marca mais competitiva por oferecer itens mais exclusivos?
Ribeiro - Com certeza. Trabalhamos com presente mais personalizado, que sai do óbvio, que não é fácil de encontrar e tem mais a cara da pessoa. Uma das categorias que se destacou este ano foi a dos copos e canecas. As pessoas têm colecionado uns modelos diferentes. Também criamos um produto bastante inovador que é uma garrafa que pode usar para ir para a academia e junto pode colocar o celular acoplado, e que está fazendo um sucesso grande. E ainda há muitos produtos para cozinha, que estão tendo boa saída. Ultimamente, as pessoas estão recebendo mais amigos em casa, então investem neste sentido.
Empresas & Negócios - Quais as metas da empresa para os próximos anos?
Ribeiro - Estamos imaginando crescer por volta de 20% em 2017, vislumbrando a retomada de mercado e projetamos abrir 20 novas franquias neste período. Este ano de 2016, estamos com crescimento de 16% na ponta e, considerando as lojas que estavam abertas no ano passado, o crescimento é de 9%. A ideia é continuar vendendo um conceito de lifestyle, para pessoas que apreciam algo diferente e inovador
Empresas & Negócios - Algo específico irá marcar os 25 anos da marca?
Ribeiro - Sim, estamos trabalhando na criação de um projeto novo de loja, afinal com o tempo, qualquer marca precisa se renovar. Estamos envolvidos em um projeto com elementos novos, que com certeza deverá atualizar o conceito da marca Imaginarium em todo o País.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia