Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de outubro de 2016. Atualizado às 21h48.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

ELEIÇÕES 2016

Notícia da edição impressa de 28/10/2016. Alterada em 27/10 às 21h25min

Candidatos à prefeitura de Porto Alegre priorizam diálogo com eleitor

Comparação de serviços da cidade sustentou discurso de Marchezan; Melo encerrou programa de quinta com mensagem para os eleitores

Comparação de serviços da cidade sustentou discurso de Marchezan; Melo encerrou programa de quinta com mensagem para os eleitores


Reprodução/TV/JC
Bruna Suptitz e Lívia Araújo
A última aposta dos candidatos à prefeitura de Porto Alegre é o contato ainda mais próximo com o eleitor. Essa é a orientação dos coordenadores de campanha de Sebastião Melo (PMDB) e Nelson Marchezan Júnior (PSDB).
Sem perder o foco de ações como grandes caminhadas, o coordenador da campanha de Melo e presidente do PMDB de Porto Alegre, Antenor Ferrari, destaca que a preferência é pelo diálogo com pessoas de todas as regiões de da cidade.
Ferrari acredita que os episódios ocorridos no segundo turno fazem com que a população pense e compare as duas candidaturas. Como exemplo, ele cita as promessas de campanha de Marchezan para obras públicas, saúde e segurança, e avalia as promessas como "falácias", mas que "impressionam a população". "São coisas que não são bem pensadas, são só panfletárias. Um prefeito sério não fala esse tipo de coisa. Esse é um discurso que depois a decepção vai cobrar", afirma.
O coordenador da campanha de Marchezan, Kevin Krieger (PP), informa que todos os eleitores estão sendo buscados nessa reta final. Entre o que é priorizado na conversa com o eleitor está o esclarecimento a críticas levantadas pelo adversário. "Falaram que iríamos acabar com algumas coisas, nos levaram a prestar esclarecimento através das respostas", informou.
Do retorno que recebem do público na rua, Krieger diz que os comentários são sobre o desgaste político, especialmente no segundo turno do pleito. "Não pessoalizamos a crítica. Apontamos o que não está bom no governo, mas sempre garantindo que as coisas boas vão continuar", avalia.
No programa de TV de Sebastião Melo exibido nesta quinta-feira, logo na abertura, é reproduzida parte do discurso da candidata a vice na chapa, Juliana Brizola (PDT), feito na terça-feira na tribuna da Assembleia. Na fala, Juliana denuncia a agressão sofrida durante ato de campanha, ao qual atribuir conotação política.
A sequência do programa mostra pessoas fazendo a defesa de Melo, referindo-se a ele como o candidato que conhece a realidade da cidade. Também são feitas referências contrárias ao voto nulo, afirmando-se que não se vota por protesto.
Na abertura do penúltimo dia de propaganda em TV, Marchezan comparou situações que considera positivas e negativas na cidade. Sem citar Melo, a propaganda do tucano cita realizações dele enquanto deputado estadual e federal que beneficiam a cidade.
O programa contou com a participação de duas pessoas já conhecidas, que tiveram maior espaço para fala: o deputado estadual Maurício Dziedricki (PTB), quarto colocado no primeiro turno da eleição, e Luciano Alabarse, coordenador do festival artístico Porto Alegre em Cena, que declara apoio a Marchezan.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia