Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 25 de outubro de 2016. Atualizado às 15h03.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

contas públicas

25/10/2016 - 15h53min. Alterada em 25/10 às 16h04min

Plenário aprova fim da discussão e PEC do teto seguirá para votação

O próximo passo é a votação em segundo turno da matéria, com encaminhamento de líderes e declaração de voto das bancadas

O próximo passo é a votação em segundo turno da matéria, com encaminhamento de líderes e declaração de voto das bancadas


Câmara dos Deputados/JC
O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na tarde desta terça-feira, 25, por 297 votos a 27, o encerramento da discussão sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que institui um teto de gastos pelos próximos 20 anos. Com isso, o próximo passo é a votação em segundo turno da matéria, com encaminhamento de líderes e declaração de voto das bancadas. Caso haja outros requerimentos, eles terão de ser apreciados antes, retardando a votação de fato.
Os deputados da oposição queriam a extensão da discussão, pois consideram que é necessário "esclarecer o tema", uma vez que a medida poderia retirar recursos de áreas estratégicas, como saúde, educação e políticas sociais. Já os governistas afirmaram que "o discurso está afinado" e refutaram as acusações de que a PEC promoverá cortes de verbas.
Neste momento, há 469 deputados na Casa. Como a votação está sendo realizada em sessão extraordinária e o prazo regimental de quatro horas já havia expirado, a mesa encerrou a sessão, apesar dos pedidos da oposição para estender por mais uma hora. Uma nova sessão extraordinária já foi aberta.
O governo precisa de 308 votos para aprovar a matéria. No primeiro turno, o placar foi favorável em 366 a 111, com duas abstenções.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia