Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 31 de outubro de 2016. Atualizado às 19h38.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

estados unidos

Alterada em 31/10 às 20h41min

Suspeita de favorecer Hillary em debate, líder dos democratas se demite da CNN

A presidente do Comitê Nacional Democrata, Donna Brazile, se demitiu da rede de televisão CNN, após um suposto e-mail dela para a campanha da candidata democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton, ter sido divulgado pelo Wikileaks nesta segunda-feira.
Ela foi acusada pela segunda vez de ter enviado à campanha de Hillary Clinton com antecedência uma questão que seria feita durante um debate do partido em março, em Flint, no estado de Michigan. Hoje, ela publicou em seu perfil no Twitter uma mensagem de despedida, que dizia “Obrigada CNN. Honrada por ser uma estrategista democrata e comentarista na emissora. Boa sorte a todos os meus ex-colegas”.
A CNN anunciou nesta segunda-feira que aceitou a demissão de Brazile. Seu acordo havia sido suspenso em julho, quando ela se tornou chefe provisória do Comitê Nacional Democrata.
A CNN disse ainda que nunca deu acesso à Brazile a qualquer pergunta ou material de preparação antes de qualquer debate.
O email divulgado pela Wikileaks nesta segunda teria sido enviado ao chefe da campanha de Hillary Clinton, John Podesta, em 5 de março deste ano, na véspera de um debate entre Hillary e Bernie Sanders.
Segundo um trecho da mensagem divulgada hoje, “uma das questões direcionadas a Hillary amanhã é de uma mulher com uma alergia... sua família tem contaminação por chumbo e ela irá perguntar o que Hillary fará, como presidente, para ajudar a população de Flint”.
Brazile já estava sendo acusada de antecipar à campanha de Hillary uma pergunta sobre pena de morte, feita em um town hall realizado no dia 13 de março, também promovido pela CNN e contra Bernie Sanders, que disputava na época a nomeação democrata.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia