Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de outubro de 2016. Atualizado às 08h43.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

greve

Alterada em 06/10 às 08h45min

Bancos propõem reajuste de 8% e greve dos bancários pode acabar nesta quinta-feira

Na área do SindBancários, 309 agências estão fechadas, totalizando 1.074 em todo o Estado

Na área do SindBancários, 309 agências estão fechadas, totalizando 1.074 em todo o Estado


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Após 31 dias de paralisação, a greve dos bancários pode acabar nesta quinta-feira (6). Em reunião com a categoria na noite desta quarta-feira (5), a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) propôs aos trabalhadores um reajuste nominal de 8% nos salários e abono de R$ 3,5 mil. O SindBancários, atendendo orientação do Comando Nacional dos Bancários, fará uma assembleia geral nesta quinta, às 19h, para avaliar a proposta e decidir os rumos do movimento
Além do reajuste e do abono, os bancos ofereceram reajuste de 10% no vale refeição e no auxílio creche-babá e 15% para o vale alimentação. Em 2017 haveria a correção integral no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado, com aumento real de 1% em todos os salários e demais verbas.
Na área do SindBancários, 309 agências estão fechadas, totalizando 1.074 em todo o Estado na quarta-feira. A greve deste ano já bate a marca da paralisação de 2004. Trata-se da greve nacional mais longa da categoria, desde que a negociação com bancos públicos e privados foi unificada. No Rio Grande do Sul, a greve mais longa registrada desde 2004 é a do Banriusul em 2013. Foram 42 dias de paralisação.
Até a rodada de negociação feita nesta quarta, os grevistas reivindicavam reajuste salarial de 14,78%, sendo 5% de aumento real, considerando uma inflação acumulada de 9,31%. Além disso, o sindicato pedia o pagamento de três salários mais R$ 8.297,61 em participação nos lucros e resultados, além da fixação do piso salarial em R$ 3.940,24. Se a proposta negociada ontem for aprovada, o piso de funcionários que trabalham em escritórios nos bancos passa de R$ 1.976,10 para R$ 2.134,19. Com informações da Agência Estado
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia