Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de outubro de 2016. Atualizado às 11h03.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa do Brasil

Notícia da edição impressa de 27/10/2016. Alterada em 27/10 às 00h34min

Mesmo superior, Inter desperdiça chances e perde para o Galo

Aylon teve duas boas oportunidade para marcar no Beira-Rio

Aylon teve duas boas oportunidade para marcar no Beira-Rio


Ricardo Duarte/Inter/Divulgação/JC
Deivison Ávila
Justiça é algo que, às vezes, não se aplica ao futebol. Ontem, no Beira-Rio, o Inter criou mais, foi superior, saiu atrás, buscou o empate, desperdiçou muitas chances, e foi castigado com um gol aos 44 minutos da etapa final. O resultado de 2 a 1 para o Atlético-MG não representou o duelo, mas deu uma vantagem gigantesca para os visitantes. Na semana que vem, em Belo Horizonte, o Colorado precisa vencer por dois gols de vantagem para chegar à final da Copa do Brasil.
O jogo começou em alta rotatividade, com os dois times buscando o campo de ataque. Em uma dessas investidas, Lucas Pratto avançou pela direita, cruzou, Paulão cortou parcialmente, mas o argentino recuperou a bola tocou para o meio, onde Otero abriu o placar, com apenas dois minutos de bola rolando.
A torcida seguiu apoiando e o Inter partiu para cima do Galo. O lado direito dos mineiros era o mais frágil e por ali, o Colorado criou mais. Aos 11 minutos, Aylon subiu sozinho e cabeceou, tirando tinta da trave. Anderson, mesmo vaiado pela torcida antes de o jogo começar, fez ótima partida. Em um desses lances, aos 29, ele cruzou, William foi bloqueado, mas a bola sobrou para Aylon, que girou e bateu no canto, perto do poste.
O Colorado voltou do intervalo com o mesmo ímpeto. Em sete minutos, foram três chances perdidas de gol pelos pés de Eduardo Henrique, Aylon e William. De tanto insistir, aos 23, o Colorado foi recompensado com o empate. Após Anderson sofrer pênalti, William cobrou e marcou. A dupla brigona foi responsável pelo gol vermelho.
Mesmo superior, o Inter foi castigado aos 44 minutos. Cazares avançou, encontrou Luan que tocou Pratto, livre, marcar o gol da vitória. Apesar da derrota, o time foi aplaudido pelos 30 mil colorados que enfrentaram a chuva no Beira-Rio.
Internacional 1 x 2 Atlético/MG
Danilo Fernandes; Fabinho (Valdívia), Alan Costa Paulão e Geferson; Rodrigo Dourado, Eduardo Henrique, William, Anderson (Vitinho) e Alex (Eduardo Sasha); Aylon. Técnico: Celso Roth.
Victor; Carlos César, Gabriel, Erazo e Fábio Santos; Rafael Carioca (Lucas Cândido), Leandro Donizete e Junior Urso; Otero (Luan), Robinho (Cazares) e Lucas Pratto. Técnico: Marcelo Oliveira.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (PE)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 27/10/2016 11h17min
ATACANTES COLORADOS, QUEM NÃO FAZ LEVA !!!nnO que adiantou ver o INTERNACIONAL jogar a melhor partida do ano e sair derrotado por 2x1 ?nnPreferia ter visto um jogo diferente, e comemorar uma GRANDE VITÓRIA sem tomar GOLS.nnFico chateado com os nossos atacantes que erram em demasia as chances para marcar GOLS, através das situações que são oportunizadas a eles na frente do goleiro adversário.nnQuando o sofremos o segundo GOL do ATLÉTICO-MG já tínhamos naquele momento crítico do jogo o Aylon, Vitinho, Valdívia, Sasha, William, Rodrigo Dourado e o Eduardo Henrique, por que o treinador Roth apostou neles para defender e atacar até o final.nnO Paulão não precisava abandonar a sua posição de zagueiro que estava tranqüila, para a moda louca mais uma vez querer virar volante, atacante por que acredita que possui estes talentos, sofrermos um GOL de contra ataque e sem cobertura para ele.nnFicaram todos olhando o avanço dos perigosos e velozes atacantes do Galo Mineiro trocando passes, até que o argentino Lucas Pratto pudesse chegar à frente e receber desmarcado, dominar a bola, concluir sozinho e matar o Saci dentro do BEIRA-RIO.nnAbs. Dorian Bueno Google+, POA 27.10.2016nn nn
Dorian R. Bueno 27/10/2016 09h40min
COLORADOS, OS NOSSOS ZAGUEIROS AJUDARAM O GALO !!!nnPerdão Amigos pelo o meu OTIMISMO de ontem.nnAté o brilho das estrelas foram ofuscadas por um temporal durante todo o jogo, mesmo assim, não prejudicou o desenvolvimento do futebol dos dois times que jogaram muito e a VITÓRIA do Galo Mineiro por 2x1 foi justa.nnEnquanto tivermos na zaga o Alan Costa que mesmo grande e forte não sabe usar o corpo e nem ter velocidade para desarmar os atacantes, sofreremos do início ao fim do jogo com a atuação insegura dele.nnJá o Paulão enquanto estava dando chute para os lados, para o alto e jogando simples, conseguia ter uma atuação tranqüila, agora cá entre nós, bastou ele receber uma faísca de bondade para ser o capitão, passou acreditar que poderia ser o astro do time.nnO esforçado Paulão acreditou que poderia definir o jogo numa arrancada para o ataque depois de ter abandonado a sua posição, quem não faz leva, a BOLA sempre PUNE.nnJá era quase o final do jogo e tomamos aquele GOL de contra ataque, por que ele não conseguiu voltar a tempo e não teve cobertura dos companheiros.nnO Galo comeu o nosso Saci em pleno BEIRA-RIO, pelos os erros dos nossos grandes, lentos e atrapalhados zagueirosnnAbs. Dorian Bueno Google+, POA 27.10.2016nn nn