Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 01 de novembro de 2016. Atualizado às 07h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

Notícia da edição impressa de 01/11/2016. Alterada em 01/11 às 08h48min

Codesul propõe comissão conjunta de infraestrutura

Governadores se reuniram com integrantes da Zona de Integração do Centro Oeste Sul-Americano

Governadores se reuniram com integrantes da Zona de Integração do Centro Oeste Sul-Americano


LUIZ CHAVES/PALÁCIO PIRATINI/JC
Construir uma comissão conjunta de infraestrutura é o foco de protocolo de intenções assinado entre o Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul) e a Zona de Integração do Centro Oeste Sul-Americano (Zicosur) no encontro de trabalho realizado nesta segunda-feira no Palácio Iguaçu, em Curitiba. Participaram do encontro os governadores José Ivo Sartori (PMDB-RS), Carlos Alberto Richa (PSDB-PR) e Raimundo Colombo (PSD-SC), além do secretário de Gestão Estratégica do Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, e o presidente do BRDE, Odacir Klein.
A proposta é mobilizar forças nacionais e bilaterais, a fim de agilizar obras importantes para os estados do Sul. Para tal, também participaram da reunião o governador da região Autônoma de Antofagasta, no Chile, Valentín Volta Valencia, que preside a Zicosur e o secretário executivo Herman Cortês. Os gestores trataram sobre a elaboração do documento conjunto com pleitos rodoviários e ferroviários do Codesul; o pedido à União de apoio financeiro a municípios pertencentes aos estados da região Sul, por meio de bancos de desenvolvimento e agências de fomento; a solicitação de reforço na área da Defesa Civil, ao Ministério da Integração Nacional; e a liberação de recursos para a Rede Sul Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas e Prevenção a Desastres Naturais (Rede Climasul).
Sartori defendeu a unidade entre os estados brasileiros, no sentido de modernizar a gestão pública e enfrentar conjuntamente as dificuldades. "Se não fizermos uma ação para reconstruir politicamente a vida nacional, estaremos prejudicando todas as instituições. O modelo político atual se caracteriza muito pela individualidade e pelos interesses pessoais. Isso não se sustenta mais. É preciso aproveitar a oportunidade que as eleições municipais deram ao País, para construir um novo futuro. A Nação não vai se salvar sem os estados".
O secretário estadual de Infraestrutura e Logística do Paraná, José Richa Filho, explicou que o Codesul trabalha para potencializar rodovias de integração em estados do Sul, que necessitem de obras para sua complementação. As secretarias estaduais de Transporte desejam que o governo federal assuma intervenções nesses trechos.
Entre as obras em rodovias federais pleiteadas pelo Rio Grande do Sul, destacam-se as BRs 470 e 116 (trecho entre a divisa com Santa Catarina até Camaquã, pela BR-470, e de Camaquã até a divisa com o Uruguai, pela BR-116). As obras necessárias incluem a pavimentação de um trecho de 126 quilômetros, construção de travessia sobre o Rio Jacuí e duplicações em andamento na extensão concedida.
No caso das BRs 101 e 471, o corredor permite acesso ao Superporto, bem como a saída para o Uruguai pelo Chuí, no Extremo-Sul do Estado. As obras pendentes incluem o reforço estrutural no pavimento para aumentar a capacidade das vias. O mesmo ocorre no trecho da BR-158, entre a divisa com Santa Catarina, em Iraí, e Santana do Livramento.
A sexta rodovia federal com necessidade de intervenção é a BR-392, entre Santa Maria e o porto do Rio Grande. Está incluída neste corredor uma extensão de 200 quilômetros de concessões federais. É preciso ampliar a capacidade da rodovia, com implantação de terceiras faixas e duplicações.
Sartori destacou que o governo gaúcho tem trabalhado para integrar as malhas estadual e federal, com aprovação recente de um plano de concessões. "É uma caminhada longa, mas necessária. Precisamos retomar os investimentos nas estradas gaúchas e isso reflete diretamente no desenvolvimento das regiões. Não temos preconceito contra parcerias público-privadas", salientou o governador.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia