Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 28 de outubro de 2016. Atualizado às 16h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria

Alterada em 28/10 às 17h46min

Ibá: produção de celulose sobe 7,5% no acumulado do ano até setembro

A produção brasileira de celulose atingiu 13,8 milhões de toneladas entre janeiro e setembro de 2016, alta de 7,5% em relação ao mesmo período de 2015. Já a produção de papel se manteve praticamente estável com uma pequena queda de 0,4%, totalizando 7,7 milhões de toneladas em nove meses. Os dados foram divulgados pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá).
As vendas de papel no mercado doméstico permaneceram estáveis em quatro milhões de toneladas nos primeiros nove meses do ano. No segmento de painéis de madeira, as vendas no mercado interno atingiram 4,7 milhões de m³, volume 4,9% inferior na comparação com o ano anterior.
O saldo da balança comercial do setor brasileiro de árvores plantadas atingiu US$ 4,9 bilhões de janeiro a setembro de 2016, alta de 5,4% em relação ao mesmo período do ano passado (US$ 4,6 bilhões).
No acumulado de 2016 o setor manteve o valor exportado estável em relação ao mesmo período de 2015 (US$ 5,7 bilhões); a celulose contribuiu positivamente com US$ 4,1 bilhões (+1,3%), os painéis de madeira com US$ 177 milhões (+24,6%) e o papel com US$ 1,4 milhão (-6,4%).
Já o volume exportado foi superior em relação ao mesmo período de 2015: celulose com 9,6 milhões de toneladas (+13,5%), papel com 1,6 milhão de toneladas (+4,7%) e os painéis de madeira com 734 mil m2 (+66,8%).
No mercado de celulose, a China manteve a liderança, com 37,5% de participação (US$ 1,5 bilhão), seguida pelos países europeus com 33,0% (US$ 1,4 bilhão). Os países latino-americanos são os principais destinos das exportações dos setores de papel e de painéis de madeira, com participações de 58,0% (US$ 831 milhões) e de 53,6% (US$ 95 milhões), respectivamente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia