Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de outubro de 2016. Atualizado às 19h24.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 24/10 às 20h27min

Dólar avança em Nova Iorque após PMI industrial forte dos EUA favorecer alta de juro

O dólar subiu contra a maioria de suas rivais nesta segunda-feira (24), estendendo uma tendência ascendente recente que cresce diante das expectativas de um aumento de juros nos EUA em breve. Esta percepção aumentou hoje depois de um dado de indústria positivo no país. Ante o euro, no entanto, a moeda americana subiu com menos força devido a indicadores melhores do que o esperado na zona do euro.
O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial dos EUA subiu a 53,2 na leitura preliminar de outubro, após encerrar setembro marcando 51,5, de acordo com dados da Markit. Segundo a consultoria, o resultado reflete uma recuperação sólida nas condições de mercado. Além disso, o índice de atividade nacional calculado pela unidade de Chicago do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) subiu de -0,72 em agosto (dado revisado, de -0,55 antes informado) para -0,14 em setembro. Os dados geraram apetite do investidor diante da perspectivas que um aumento de juros está mais próximo.
"Foi um dia calmo em termos de volume, que estão significativamente abaixo do normal, mas o dólar mantém o reforço quando parece cada vez mais que o Federal Reserve Fed irá elevar as taxas de juros em dezembro", disse Greg Anderson, chefe global de estratégia de câmbio da BMO Capital Markets.
A força da moeda ante o euro, no entanto, foi menor, uma vez que o euro foi beneficiado com dados positivos da zona do euro. O PMI composto da zona do euro subiu de 52,6 em setembro para 53,7 na preliminar de outubro, no maior nível em dez meses, segundo a Markit. Analistas previam alta menor, para 52,8. O PMI da indústria da região passou de 52,6 em setembro para 53,3 na prévia de outubro, na máxima em 30 meses, ante previsão de estabilidade dos economistas. Na Alemanha, o PMI composto avançou de 52,8 em setembro para 55,1 em outubro, na máxima em três meses.
Por outro lado, a moeda dos EUA caiu ante a libra, com a divisa do Reino Unido se recuperando das mínimas recentes. No entanto, ela continua a ser negociada perto do nível mais baixo por causa da decisão do Reino Unido de sair da União Europeias.
No final da tarde, o dólar subia a 104,23 ienes, de 103,84 ienes no final da tarde de sexta-feira; o euro cedia a US$ 1,0876, de US$ 1,0880; a libra subia a US$ 1,2220, de US$ 1,2217; o dólar australiano caía a US$ 0,7602, de US$ 0,7603.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia