Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de outubro de 2016. Atualizado às 19h29.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Missão à Europa

Notícia da edição impressa de 24/10/2016. Alterada em 24/10 às 20h31min

Acordos com Lactalis e Medical Valley são trunfos para Sartori

Sartori encerrou a viagem pela Europa após compromissos na Itália

Sartori encerrou a viagem pela Europa após compromissos na Itália


PALÁCIO PIRATINI/JC
Patrícia Comunello, de Veneza, Itália
O governador gaúcho José Ivo Sartori voltou com dois troféus da viagem de seis dias à Europa, a quarta missão internacional do governo atual. São eles os aportes de R$ 104 milhões da gigante de laticínios Lactalis e o acordo para replicar no Estado o modelo do Medical Valley, cluster alemão de tecnologias em saúde, que terá já na largada R$ 3 milhões de investimentos no primeiro projeto, liderado pela Siemens Healtineers, braço da companhia global voltado a novos produtos e serviços ligados à engenharia da saúde. As cifras não são bilionárias, mas o potencial futuro dos empreendimentos é o que mais anima o governador e sua equipe.
A Lactalis quer elevar em 55% a captação de leite de produtores e a produção de itens mais elaborados, o que exigirá mais produtividade e qualidade da matéria-prima. O presidente mundial da companhia, Daniel Jaouen, disse que o Rio Grande do Sul concentra maior volume de aportes do grupo no mundo atualmente e que novos investimentos virão.
O Medical Valley vai nascer com o desafio de aproximar empresas, desenvolvedores, locais de atendimento de ponta, como hospitais, e universidades. Para impulsionar o cluster local, haverá também recursos do governo alemão e do Brasil, via Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O Estado ainda recebeu o certificado de partner premium (sócio) do polo alemão. Com isso, entrou em um clube restrito onde estão ainda Hong Kong (território autônomo da China) e Boston (Estados Unidos).
Além dos empreendimentos, o governo aposta ainda em mais frutos com a cooperação alinhavada com regiões alemães e o Vêneto, na Itália. Após seis dias de missão à Europa, com passagem pela Alemanha, França e Itália, Sartori, que desembarcou na manhã de sábado em Porto Alegre, de volta para casa, disse que o resultado foi além do esperado e apontou novas perspectivas. "Pensava em fazer uma visita à Alemanha pelo acordo Brasil e Alemanha e para o 35º Encontro Econômico Brasil-Alemanha entre empresários dos dois países em fim de 2017 em Porto Alegre. O que queremos é que eles invistam no Brasil", pontuou o governador.
Do contato com os alemães, o presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiergs), Heitor José Müller, que acompanhou toda a missão, diagnosticou: "Eles estão motivados a investir. Parecem acreditar mais no Brasil do que nós". Um teste será a missão que o governo da Renânia Palatinado terá em novembro ao Rio Grande do Sul, organizada pelo consulado alemão e que terá setores de governo e empresas.
O secretário de Desenvolvimento Econômico, Fábio Branco, destacou que as agendas por centros de pesquisa alemães serviram para conhecer o modelo e auxiliar na formatação do sistema de inovação local. Sobre a Lactatlis, Branco citou que as conversas com o grupo começaram ainda no primeiro semestre e que há condições de incentivo para elevar a porção de itens lácteos de maior valor agregado.
Na parada final, antes da volta ao Brasil, Sartori teve reunião reservada com o presidente da região do Vêneto, Luca Zaia, que viaja ao Estado em novembro com setores empresariais. O encontro foi no palácio do governo, cuja sede é a exuberante Veneza. "Temos uma grande semelhança, o Vêneto é o maior produtor de vinhos na Itália e nós no Brasil", lembrou. "Viemos para viabilizar bons acordos econômicos", sinalizou o chefe do governo a Zaia.
O foco será fazer cooperação para injetar na economia gaúcha o impulso ao segmento de micro e pequenas empresas da região italiana. No Vêneto, de onde partiram boa parte dos imigrantes italianos que desembarcaram no século 19 no Rio Grande do Sul, 80% das empresas têm até 15 empregados. A região tem cerca de 5 milhões de habitantes e PIB de R$ 525 bilhões, enquanto o PIB gaúcho somou quase R$ 400 bilhões em 2015 para uma população de 11,3 milhões de habitantes.
O interesse gaúcho é melhorar os arranjos produtivos locais (APLs) que já existem no Estado, buscando parcerias e a expertise italiana. Uma comitiva ligada à área da moda visitou unidades de design, escolas e produção na região e em Milão, na Lombardia. Empresários italianos mostraram interesse em investir, após reunião com os gaúchos. Mauro Pellizzari, dono da Fiori, que atua em equipamentos para construção civil, reuniu-se com os gaúchos e considera o Estado um grande parceiro. "Investimos R$ 10 milhões em uma unidade no Rio Grande do Sul (Porto Alegre) há sete anos e podemos ter novos aportes quando o mercado demandar produtos", disse Pellizzari. "Desejamos transformar a fábrica em fornecedora para a América do Sul." A Fiori tem ainda unidade na Índia.

NA BAGAGEM

Missões internacionais do governo Sartori:

  • Janeiro de 2015: Alemanha e França
  • Julho de 2015: Uruguai
  • Agosto de 2016: Argentina
  • Outubro de 2016: Alemanha, França e Itália

Balanço da Missão à Europa e novos passos:

Alemanha:
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2016/10/17/206x137/1_weimar_acordo_medical_valley_e_capes_governador_e_tobias_zobel_medical_valley_cre_dito_foto_luiz_chaves_estado_divulgac_ao_jc-1353429.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'580535dd98672', 'cd_midia':1353429, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2016/10/17/weimar_acordo_medical_valley_e_capes_governador_e_tobias_zobel_medical_valley_cre_dito_foto_luiz_chaves_estado_divulgac_ao_jc-1353429.jpg', 'ds_midia': 'Governador José Ivo sartori recebe certificado de parcerio do Medical Valley de Tobias Zobel, diretor-executivo do cluster alemão', 'ds_midia_credi': 'Luiz Chaves/Palácio Piratini/Divulgação/JC', 'ds_midia_titlo': 'Governador José Ivo sartori recebe certificado de parcerio do Medical Valley de Tobias Zobel, diretor-executivo do cluster alemão', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '532', 'align': 'Left'}
Tobias Zobel e Sartori oficializam parceria para implantar o Medical Valley/ Foto Luiz Chaves /Divulgação
  • Medical Valley: acordo entre a universidade de Erlangen e a Capes permite que recursos sejam aportados pelo governo alemão e brasileiro para implantar o modelo de cluster voltado a inovação e tecnologia em saúde. O Rio Grande do Sul recebeu o certificado de partner premium (sócio-membro) do cluster alemão. Apenas Boston (Estados Unidos) e Hong Kong (China) têm esta mesma titulação. A alemã Siemens Healtineers começa primeiro projeto de pesquisa na Unisinos em 2017, com aporte de R$ 3 milhões.
  • Encontro Brasil-Alemanha e centro de pesquisa e tecnologia: a 34a edição ocorreu em Weimar, no leste alemão. Em 2017, o 35o encontro será em Porto Alegre no fim do ano. Em novembro deste ano, uma missão da Renânia Palatinado vem ao Estado, com empresas e governo. Cooperação técnica com unidades do Instituto Fraunhofer Microtécnica e do Instituto de Instituto Tecnológico de Karlsruhe (KIT), que ficam na Renânia, estão nos planos.
José Ivo Sartori foi recebido pela secretária Daniela Schmitt em Mainz
Secretária da região da Renânia, Daniela Schmitt, virá ao Estado em missão em novembro/ Foto Luiz Chaves/Divulgação  
França:
Paris: Sartori comemora investimento com comitiva e presidente da Lactalis, Daniel Jaouen (à esq. do governador)
Sartori comemora com comitiva e presidente da Lactalis, Daniel Jaouen/Foto Patrícia Comunello/JC
  • Lactalis: a gigante francesa anunciou investimento de R$ 104 milhões para elevar em 55% capacidade de captação de leite e a produção nas unidades de Ijuí, Teutônia, Três de Maio e Santa Rosa. O RS é a maior base de produção da companhia. Uma das novidades é a embalagem de garrafa plástica para leite UHT em Teutônia e começo da produção de itens da marca President. Para sair de 900 milhões de litros de leite captados ao ano para 1,5 bilhão ao ano nos próximos dois anos, a empresa atuará forte em aumento de produtividade e qualidade. Guilherme Portella, diretor de relações institucionais da Lactalis na América do Sul, diz que será adotado modelo de contrato com produtores inovação na cadeia do leite.
Itália:
  • Vêneto: cooperação com setores de arranjos produtivos locais e governo para impulsionar atividade de pequenas empresas. Em novembro, o presidente da região do Vêneto, Luca Zaia (Foto Luiz Chaves /Divulgação), vai com comitiva ao Estado.
Missao Europa Governador Sartori com presidente do Vento Luca Zaia Credito Luiz Chaves Palacio Piratini Divulgacao JC
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia