Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de outubro de 2016. Atualizado às 21h56.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

18/10/2016 - 22h00min. Alterada em 18/10 às 22h59min

Vendas contratadas da Gafisa têm queda de 7,6% no terceiro trimestre

A Gafisa anunciou nesta terça-feira, 18, seus números operacionais relativos ao terceiro trimestre de 2016. As vendas contratadas no período somaram R$ 497 milhões, número 7,6% menor que os R$ 538 milhões apurados no terceiro trimestre de 2015. Em relação ao segundo trimestre deste ano, quando as vendas somaram R$ 455 milhões, houve crescimento de 9,4%. Os lançamentos responderam por 63,2% do total de vendas no trimestre.
No acumulado do ano até setembro, as vendas alcançaram R$ 1,285 bilhão, queda de 11,3% em relação ao mesmo período de 2015. Em relatório que acompanha os números, a companhia afirma que os lançamentos foram responsáveis por 39,7% do total de vendas no ano. NO terceiro trimestre, o segmento Gafisa respondeu por 52% das vendas, enquanto o segmento Tenda respondeu pelos 48% restantes.
Os lançamentos somaram R$ 736,4 milhões entre julho e setembro deste ano, avanço de 21,3% em relação aos R$ 607 milhões lançados no mesmo período de 2015, e crescimento trimestral de 35,1%. Em nove meses, o volume de lançamentos ficou em R$ 1,59 bilhão, 13,4% a mais que no ano passado.
No trimestre, foram 13 projetos ou fases lançados nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Sul. O segmento Gafisa respondeu por 55,8% dos lançamentos, e o segmento Tenda por 44,2% do total. A companhia entregou ainda 17 projetos no período, com 3.710 unidades que totalizam R$ 1,2 bilhão em VGV. No ano, foram 36 projetos e 7.501 unidades, com VGV de R$ 2,1 bilhão.
As vendas consolidadas sobre oferta (VSO) alcançaram 14,2% no terceiro trimestre, ante 14,8% em 2015, e 13,9% no segundo trimestre. A velocidade de vendas dos lançamentos chegou a 20,9%. Em 12 meses, a VSO atingiu 38,3%.
O estoque de imóveis da Gafisa apresentou um aumento de 6,7% no terceiro trimestre, em relação ao segundo trimestre, para R$ 3 bilhões. Foram vendidos R$ 111,6 milhões de imóveis em estoque no segmento Gafisa, e R$ 71,2 milhões no Tenda.
Segmentos
Somente no segmento Gafisa, as vendas líquidas somaram R$ 258,3 milhões, aumento de 4,3% na comparação anual, e de 99,5% na comparação trimestral. No ano, as vendas líquidas chegaram a R$ 454,7 milhões. A VSO deste segmento chegou a 26,1%, ante 29,6% no terceiro trimestre do ano passado.
A companhia explica que o foco continua na venda de unidades remanescentes. Das vendas líquidas, 43,2% foram de projetos lançados antes de 2016. Das 713 unidades que tiveram distratos ao longo do primeiro semestre, 392 foram vendidas no mesmo período. Entre julho e setembro, foram entregues sete projetos do segmento Gafisa com 1.899 unidades, e VGV de R$ 935,7 milhões, com 42,3% desse volume relacionado a projetos comerciais.
No segmento Tenda, as vendas líquidas alcançaram R$ 238,7 milhões, queda de 2,7% no ano e de 26,6% em relação ao segundo trimestre. No acumulado do ano, as vendas líquidas chegaram a R$ 830,2 milhões. Os lançamentos responderam por 70,2% do total de vendas neste segmento, com VSO de 18,8%.
O volume de distratos teve um aumento de 90,4% no terceiro trimestre, em relação ao mesmo período de 2015, e de 38,1%, em três meses, totalizando R$ 80 milhões. Segundo a Gafisa, isso se deve à política de cancelamento de vendas a clientes não elegíveis, para posterior revenda a compradores qualificados.
A companhia aponta ainda os efeitos de sazonalidade causados pelo Feirão da Caixa, no segundo trimestre, introdução de entrevistas presenciais em agências bancárias para análise e concessão de crédito, e revisão do processo de distratos unilaterais por parte da Tenda para vendas não repassadas por um período superior a três meses. Das 1.268 unidades distratadas de janeiro a setembro, 65,4% foram revendidas no mesmo período.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia