Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 14 de outubro de 2016. Atualizado às 18h42.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 14/10 às 18h46min

Ouro fecha em queda com fortalecimento do dólar e perspectiva de alta de juros

Os preços do ouro terminaram em baixa nesta sexta-feira (14), diante do fortalecimento do dólar, que ocorreu devido à maior expectativa de que os juros nos EUA devem subir em dezembro.
O ouro para dezembro, negociado na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex) fechou em queda de 0,16%, a US$ 1.255,50 por onça-troy.
O índice do dólar WSJ, que acompanha o dólar contra uma cesta de outras 16 moedas, subiu 0,2% nesta sexta-feira. Um dólar mais forte torna as commodities denominadas em dólar mais caras para os detentores de outras moedas.
O ouro tem sido influenciado por expectativas crescentes de um aumento da taxa de juros dos EUA até o fim do ano. Nesta sexta-feira, a presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Janet Yellen, fez um discurso com visões divididas, mas sua fala de que uma política acomodatícia por muito tempo pode gerar custos mostrou um tom mais hawkish (favorável ao aumento de juros). De acordo com os futuros dos fed-funds baseados nas apostas dos investidores, o mercado prevê uma possibilidade de 69% de aumento dos juros em dezembro, de acordo com cálculos do CME Group.
Taxa de juros mais elevada nos EUA acarretaria em uma queda dos preços do ouro, que passaria a competir com outros investimentos de rendimentos maiores. O metal tem caído ao longo das últimas semanas devido às preocupações sobre as taxas de juros mais elevadas, amortecendo o entusiasmo que tem persistido ao longo do ano.
"Com todas as oscilações do mercado, o ouro tem ficado fora do radar no último trimestre das agendas de gestoras de investimento", disse o diretor da RBC Wealth Management, George Gero.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia