Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de outubro de 2016. Atualizado às 14h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 05/10 às 14h43min

Bolsas europeias fecham sem direção única, influenciadas por dúvidas sobre o BCE

Os principais índices acionários da Europa fecharam sem direção única na sessão desta quarta-feira com os investidores reagindo de forma mista a especulações sobre o programa de compra de ativos do Banco Central Europeu (BCE). Sem citar nomes, uma reportagem publicada pela Bloomberg sinaliza que a autoridade monetária pode dar início a uma desaceleração do programa antes de março de 2017, levantando dúvidas no mercado. Assim, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,55%, aos 344,20 pontos. Amanhã, a divulgação da ata da última reunião do BCE pode movimentar os mercados.
Em Londres, o FTSE 100 perdeu 0,58% e fechou aos 7.033,25 pontos, com as preocupações relacionadas ao BCE se sobrepondo ao dado melhor que o esperado do índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços. As mineradoras recuaram, com a Glencore caindo 1,15% e a Fresnillo perdendo 2,84%, assim como o setor de serviços públicos, que refletiu um rebaixamento de rating da RBC.
Influenciado pelos dados da ADP sobre a criação de emprego nos EUA, o índice DAX, de Frankfurt, caiu 0,32% e fechou aos 10.585,78 pontos. Os números piores que o esperado ventilaram especulações de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) adie os planos de elevar os juros. Ainda assim, Frankfurt não caiu tanto, pois foi sustentada pela alta do Deutsche Bank e das montadoras. O banco alemão fechou em alta de 2,77% e a BMW avançou 1,15%.
Milão destoou dos outros índices e subiu 1,03%, aos 16.476,58 pontos, impulsionada pelos bancos. Operadores tiveram outra interpretação sobre a notícia do BCE, especulando que a autoridade monetária poderá postergar o fim do programa de compra de ativos. Com isso, o Banca Popolare de Milano avançou 5,15%, o Intesa Sanpaolo subiu 3,32% e o UniCredit ganhou 4,08%.
Em Paris, o CAC-40 caiu 0,29%, aos 4.489,95 pontos, e interrompeu uma sequência de 5 sessões de alta. O índice abriu o dia em queda e permaneceu no campo negativo durante toda a sessão. Entre os destaques negativos, a Avanquest, fabricante de softwares, recuou 3,3%, e a Orange perdeu 1,39%.
Assim como Milão, Madri também fechou em território positivo, com alta de 0,11%, aos 8.778,30 pontos. Já o PSI 20, de Lisboa, teve a pior queda das principais bolsas, recuando 1,31%, aos 4.575,18 pontos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia