Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de outubro de 2016. Atualizado às 13h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria Automotiva

Alterada em 05/10 às 13h27min

Venda de veículos cai 13% e segmento tem pior setembro em 10 anos, diz Fenabrave

Balanço divulgado nesta quarta-feira (5) pela Fenabrave, entidade que representa as concessionárias de veículos, mostra que as vendas do setor caíram 13% na passagem de agosto para setembro, com um total de 160 mil unidades emplacadas no mês passado. A conta engloba carros de passeio, utilitários leves - como picapes e vans -, caminhões e ônibus.
Na comparação com setembro de 2015, a queda foi ainda maior, de 20,1%. Foi o pior setembro na comercialização de veículos novos no País em uma década.
O desempenho leva as vendas acumuladas desde janeiro para 1,51 milhão de veículos, uma queda de 22,8% na comparação anual e também o volume mais baixo, entre períodos equivalentes, desde 2006.
Não se confirmou a recuperação esperada pelo setor após a Olimpíada, que prejudicou o movimento nas concessionárias do Rio de Janeiro, terceiro maior mercado do País, em agosto. As revendas de todo o Brasil comercializaram 7,4 mil carros a cada dia que abriram as portas em setembro, um fluxo ainda menor do que o ritmo médio de 7,8 mil unidades registrado no mês anterior.
Com exceção de julho, o mercado está estagnado abaixo da marca de 8 mil carros por dia útil desde o início do ano - tirando da conta as entregas de caminhões e ônibus.
Só no mercado de carros de passeio e utilitários leves, as vendas, de 155 mil unidades no mês passado, caíram 19,5% na comparação anual e 13% em relação a agosto. Nos nove primeiros meses deste ano, os emplacamentos nesse segmento cederam 22,5%, somando 1,46 milhão de unidades.
O desempenho é ainda pior na indústria de veículos comerciais pesados. No mês passado, as vendas de caminhões recuaram 30,1% no comparativo com setembro de 2015. Em relação a agosto, a queda foi de 5,3%. No total, 4,2 mil caminhões foram entregues em setembro, levando o volume acumulado desde janeiro para 38,7 mil unidades, uma queda de 30,6%.
A redução nas vendas de ônibus em setembro foi de 46,2% em relação ao volume de um ano antes e 41,4% na comparação mensal. Foram licenciados 828 coletivos em setembro. No acumulado do ano, o volume de ônibus vendidos soma 11,2 mil unidades, o que representa um recuo de 32,7%.
Na falta de reação do mercado, a Fenabrave voltou a revisar para baixo suas projeções do desempenho do setor neste ano, prevendo agora queda de 19,5% nas vendas de carros de passeio e utilitários leves.
Na previsão anterior, anunciada em agosto, a entidade projetava redução menor, de 18%, nos emplacamentos desse segmento. Se confirmada a projeção, o setor terminará o ano com vendas de 1,99 milhão de carros.
Para as vendas de caminhões, a expectativa de queda passou de 27,2% para 28,5%, enquanto a projeção à redução no mercado de ônibus foi revista de 19% para 23%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia