Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 07 de outubro de 2016. Atualizado às 00h03.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 07/10/2016. Alterada em 06/10 às 20h31min

Frases e personagens

Cassiá Carpes (PP), vereador eleito em Porto Alegre

Cassiá Carpes (PP), vereador eleito em Porto Alegre


ANTONIO PAZ/JC
"A decisão do STF, permitindo prisão após julgamento por tribunais em segunda instância, é moralizante. Acaba com o País das liminares e dos recursos, quando muitos cumpriam mandatos desta maneira." Cassiá Carpes (PP), vereador eleito em Porto Alegre.
"O STF tomou a atitude que se esperava, mesmo respeitando a minoria contrária da Corte. Assim, acabaremos com a impunidade para, principalmente, os crimes de colarinho branco". Sérgio Moro, juiz federal da Lava Jato.
"Mandar para a prisão após a segunda instância é atitude moralizante da Justiça. E vale para todo o Brasil." Lasier Martins (PDT), senador.
"O Brasil vive um quadro de profunda descrença na política. A palavra e a ação corretiva, notadamente por operações como a Lava Jato, provocam justa expectativa da população quanto ao saneamento moral de sua cena pública. Isso só pode e só deve se dar dentro dos estritos limites da lei, dentro do devido processo legal, com ampla defesa, direito ao contraditório e respeitada a presunção de inocência. Transgredir a Constituição, a qualquer pretexto, é um crime à ordem jurídica e ao Estado Democrático de Direito." Claudio Lamachia, presidente nacional da OAB.
"Todas famílias sabem que quando a falta de recursos entra em casa, a solução é diminuir os gastos. Por isso, a PEC 241, com teto para as despesas, é fundamental. O Brasil recuperará a confiança e haverá mais investimentos e empregos." Henrique Meirelles, ministro da Fazenda.
"A PEC 241, que cria o teto para o crescimento do gasto público, tem defesa da medida distribuída pelo PMDB que classifico como panfleto de guerra psicológica e propaganda do medo." Henrique Fontana (PT), deputado federal.
"Por que o governo também não propõe o aumento da tributação sobre grandes fortunas e sobre a transmissão de heranças? Todos nós queremos o equilíbrio fiscal. Mas o debate não é ser contra ou a favor ao equilíbrio fiscal, mas sim sobre quem pagará essa conta." Também Henrique Fontana.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia