Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 18 de setembro de 2016. Atualizado às 22h33.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

Notícia da edição impressa de 19/09/2016. Alterada em 18/09 às 21h37min

Para Janot, ex-presidente Lula tenta tumultuar investigações

Crítica do procurador-geral foi enviada ao STF

Crítica do procurador-geral foi enviada ao STF


JOSÉ CRUZ/ABR/JC
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tenta tumultuar as investigações sobre sua suposta participação no esquema de corrupção na Petrobras. A crítica consta de parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) na sexta-feira, no qual contesta argumentos da defesa do petista para suspender inquéritos que tramitam na 13ª Vara de Curitiba, sob responsabilidade do juiz Sérgio Moro, e na 10ª Vara Federal de Brasília.
Janot endossa o ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, de que Lula tem apresentado "tentativas" para "embaraçar as apurações". A afirmação de Zavascki foi feita no dia 6; na quarta-feira, porém, ele disse ter usado termo inadequado e determinou que "embaraçar as apurações" fosse retirado do texto original. A defesa de Lula alega que os inquéritos em Curitiba e no Distrito Federal devem ser "sobrestados", já que os mesmos fatos em apuração são objeto do inquérito que verifica a participação de Lula e outros políticos em "organização criminosa". Para a defesa, Moro "usurpa" competência da Corte.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia