Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de setembro de 2016. Atualizado às 17h23.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

ESTADOS UNIDOS

Alterada em 16/09 às 17h24min

Em discurso, Trump admite que presidente Barack Obama nasceu nos EUA

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, admitiu pela primeira vez nesta sexta-feira que Barack Obama nasceu nos EUA, após anos de falsas acusações contra o presidente. "Barack Obama nasceu nos EUA, ponto. Agora todos queremos voltar a fazer a América forte e grande novamente", disse Trump em seu recém-aberto hotel na Pennsylvania Avenue, em Washington.
A declaração de Trump é uma tentativa de acabar com uma teoria da conspiração para a qual ele deu crédito durante anos, ainda que o político ainda tenha colocado falsamente a culpa em sua rival na corrida presidencial, a democrata Hillary Clinton, pela sugestão incorreta de que Obama teria nascido no exterior, não no Havaí.
Não há evidência de que Hillary tenha lançado o movimento em sua campanha de 2008, uma afirmação que Trump e seus partidários têm repetido longamente há anos. O candidato não aceitou questões dos repórteres no evento.
Trump retomou o argumento de que Obama não nasceu no Havaí em entrevista publicada na quinta-feira no Washington Post. Na conversa, ele se recusou a dizer se acredita que o presidente é um cidadão norte-americano.
O empresário construiu sua carreira na política republicana com a falsa alegação de que Obama nasceu no Quênia - na verdade, o pai de Obama é do país africano. A campanha de Trump sobre o tema ganhou atenção de republicanos céticos, a ponto de em 2011 a Casa Branca, pela primeira vez, divulgar a certidão de nascimento de Obama. Pouco depois, Obama fez piadas sobre Trump no jantar anual da Casa Branca para os jornalistas - o empresário estava na plateia.
Trump nunca havia dito pessoalmente que Obama é cidadão norte-americano. A campanha dele divulgou comunicado na noite de quinta-feira, na qual um assessor, Jason Miller, dizia que "o sr. Trump acredita que o presidente Obama nasceu nos Estados Unidos".
Hillary e aliados têm retratado as questões sobre o local de nascimento de Obama como racistas.
Em discurso nesta sexta-feira em um fórum de mulheres negras em Washington, Hillary afirmou que o rival encabeçou durante cinco anos um movimento "para deslegitimar nosso primeiro presidente negro". Hillary falou que Trump deve um pedido de desculpas a Obama.
O próprio presidente, ao ser questionado sobre o assunto, afirmou que essa é uma distração no momento em que há sérios desafios para o país. "Eu estava muito confiante sobre onde nasci. Acho que a maioria das pessoas também", comentou Obama, após uma reunião com líderes empresariais no Salão Oval para discutir um novo acordo comercial com nações asiáticas. "Minha esperança é que a eleição presidencial reflita questões mais sérias que esta." 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia