Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de setembro de 2016. Atualizado às 13h18.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

estados unidos

Notícia da edição impressa de 12/09/2016. Alterada em 12/09 às 13h20min

'Não vamos permitir que nos dividam'

No Marco Zero, em Nova Iorque, familiares das 2.983 vítimas prestaram homenagens

No Marco Zero, em Nova Iorque, familiares das 2.983 vítimas prestaram homenagens


BRENDAN SMIALOWSKI/AFP/JC
Depois de respeitar um minuto de silêncio na Casa Branca às 8h46min (9h46min de Brasília), hora em que o primeiro avião atingiu as Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova Iorque, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, participou ontem de uma homenagem às vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001 no Pentágono, em Washington, que também foi atingido 15 anos atrás.
Em um discurso diante de sobreviventes e famílias de vítimas, o presidente afirmou que a maior lição do 11 de Setembro deve ser a resistência dos norte-americanos a tentativas de alimentar divisões no país, em um momento em que os EUA vivem uma das mais polarizadas disputas presidenciais de sua história. "No fim das contas, a homenagem mais duradoura às pessoas que perdemos é assegurar a América que continuamos a ser, que nos mantemos fiéis a nós mesmos e ao que temos de melhor, que não vamos permitir que nos dividam", afirmou.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia