Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de setembro de 2016. Atualizado às 16h03.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

ensino superior

23/09/2016 - 15h54min. Alterada em 23/09 às 16h05min

Com pressão dos alunos, Ufrgs adia votação de alterações no programa de cotas

Alunos ocuparam o térreo da reitoria da Ufrgs, em protesto contra alterações no sistema de cotas

Alunos ocuparam o térreo da reitoria da Ufrgs, em protesto contra alterações no sistema de cotas


Fredy Vieira
Depois da pressão feita pelos alunos, que ocuparam o prédio da reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) na tarde desta quinta-feira, o Conselho Universitário (Consun) da instituição decidiu adiar a votação, marcada para esta sexta-feira (23), do Parecer nº 239/2016, que sugere a alteração da Decisão nº 268/2012, que implementa o Programa de Ações Afirmativas da universidade.
Os alunos, que protestam contra as alterações na política de cotas, ocuparam o térreo do prédio da reitoria, buscando esperar a chegada dos integrantes do Consun para a votação, que aconteceria nesta manhã. A nova data ainda não foi definida, mas deverá ser anunciada 48h antes da reunião.
Com relatoria do professor Celso Giannetti Loureiro Chaves, do Instituto de Artes, a questão mais polêmica do parecer é relativa à forma de ingresso. Até agora, o candidato inscrito para concorrer a uma vaga reservada a egressos de escolas públicas poderia entrar por acesso universal, caso seu desempenho fosse compatível. A mudança, no entanto, prevê que o estudante concorra exclusivamente às vagas destinadas à cota.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia