Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de setembro de 2016. Atualizado às 19h25.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

12/09/2016 - 19h07min. Alterada em 12/09 às 19h29min

Mortes por Gripe A em 2016 no Rio Grande do Sul só perdem para ano da epidemia

Emergências tiveram maior busca de atendimento por causa dos casos

Emergências tiveram maior busca de atendimento por causa dos casos


MARCO QUINTANA/JC
O número de mortes por Gripe A no Rio Grande do Sul em 2016 só não é maior que o da epidemia da doença em 2009. Até fim de agosto, o número era de 1.378 pessoas infectadas pelo vírus Influenza A, sendo que 1.242 foram pelo tipo H1N1, o mais letal. A doença gerou 209 mortes, sendo que 193 foi por H1N1. Os demais são por Influenza A não subtipado. 
Em 2009, a gripe A fez 334 mortes. Nos anos seguintes, houve um recuo considerável. O ano de 2013 foi o último registro com maior número, com 73 mortes. Em 2014, foram 25 óbitos, e no ano passado, apenas nove, segundo a Secretaria Estadual da Saúde.
A região metropolitana concentra este ano o maior número de casos confirmados (55,5%), seguida da Serra (11,2%) e Missões (9%). Porto Alegre lidera em casos por município (25,5%), seguido de Canoas (5,7%).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia