Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de setembro de 2016. Atualizado às 21h13.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Greve

08/09/2016 - 19h21min. Alterada em 08/09 às 21h18min

Greve dos bancários fecha 260 agências na região de Porto Alegre

Clientes conseguem acessar a sala de auto-atendimento, mas nem tudo pode ser feito pelos caixas

Clientes conseguem acessar a sala de auto-atendimento, mas nem tudo pode ser feito pelos caixas


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A greve dos bancários chegou ao terceiro dia (considerando apenas os úteis) nesta quinta-feira (8) fechando 260 agências em Porto Alegre e Região Metropolitana, segundo o Sindbancários. No Estado, o total de agências fechadas chegou a 600, e no País, em 7.359.
Nesta sexta-feira (9), há expectativa sobre a negociação marcada com os bancos em São Paulo. A categoria, informou a entidade local, fará uma vigília a partir das 10h, na Praça da Alfândega, Centro Histórico da Capital, para pressionar por uma proposta acima do que já foi apresentado. 
Em assembleia na tarde desta quinta na Casa dos Bancários, os trabalhadores de bancos públicos e privados decidiram que farão nova plenária às 15h desta sexta, no Clube do Comércio, para avaliar o resultado da rodada de negociação. A primeira oferta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) foi rejeitada em 1 de setembro e previa reajuste de 6,5% e abono de R$ 3.000,00.
Os sindicalistas têm adotado piquetes móveis nas portas das agências para impedir a abertura. Os clientes e outros usuários conseguem acessar a sala de auto-atendimento, mas nem tudo pode ser feito pelos caixas eletrônicos. Depósitos com envelope não estão sendo possíveis em muitos locais, pois a confirmação da operação precisa ser feita por funcionários. A busca por casas lotéricas para resolver o que se fazia em bancos também cresce, gerando filas. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia