Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de setembro de 2016. Atualizado às 17h13.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

RIO-2016

16/09/2016 - 14h12min. Alterada em 16/09 às 17h17min

Silvânia confirma favoritismo e fatura ouro no salto em distância na Paralimpíada

O título paralímpico no Rio veio somente no último salto da atleta

O título paralímpico no Rio veio somente no último salto da atleta


Simon Bruty for OIS/OIS/IOC /AFP/JC
A brasileira Silvânia Costa sofreu, mas conquistou nesta sexta-feira a medalha de ouro do salto em distância na categoria T11, para atletas cegas. O título paralímpico no Rio veio somente no último salto da atleta, que superou a marfinense Fatimata Brigitte Diasso, medalha de prata. O bronze também foi do Brasil, com Lorena Spoladore.
Recordista mundial da prova, com os 5,46 metros obtidos esse ano em São Paulo, Silvânia era a principal candidata ao ouro nesta sexta. Até conseguiu bons saltos no início, mas foi rapidamente superada por Diasso. A brasileira, então, esperou até o último salto do dia para superar a adversária e garantir o ouro.
No sexto e último salto, Silvânia conseguiu a marca de 4,98 metros, nove centímetros a mais do que a marfinense. Também em sua última tentativa, Lorena conseguiu sua melhor marca, alcançou os 4,71 metros e garantiu a medalha de bronze. Este foi seu melhor salto nesta temporada.
A medalha de Silvânia serviu para completar a festa de sua família. Seu irmão, Ricardo Costa, já havia faturado o ouro na mesma prova entre os homens nesta edição dos Jogos Paralímpicos.
Além disso, a conquista encerrou um curto jejum de medalhas de ouro do Brasil no Rio, uma vez que o País não havia subido no lugar mais alto do pódio na última quarta e quinta-feira. Por isso, caiu para a sétima colocação, onde continua, com 11 ouros e 55 medalhas no total.
Ainda nesta sexta-feira, o Brasil lutará por mais medalhas no atletismo. Na categoria T11 dos 400m feminino, o País será representado por duas atletas na decisão. Terezinha Guilhermina e Thais Simplício registraram o terceiro e quarto melhores tempos das eliminatórias, respectivamente, e avançaram à disputa do pódio à noite.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia