Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 11 de setembro de 2016. Atualizado às 18h47.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

Alterada em 11/09 às 18h48min

Sport ganha de virada com chuva de gols, afunda o rival Santa Cruz e leva troféu

Em um dos melhores clássicos da temporada, com ares de revanche por conta da eliminação na Copa Sul-Americana, o Sport saiu atrás no marcador, mas buscou uma vitória impressionante por 5 a 3 sobre o Santa Cruz, neste domingo, no estádio da Ilha do Retiro, no Recife, em partida válida pela 24.ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Na briga para sair da zona de rebaixamento, o Santa Cruz estacionou nos 20 pontos conquistados, na 19.ª e penúltima colocação do Brasileirão. Já o time rubro-negro ganhou fôlego ao somar 30 pontos e saltar para a 13.ª posição.
A partida serviu ainda para o Sport conquistar o troféu Givanildo Oliveira, presenteado pela Federação Pernambucana de Futebol em comemoração ao centenário do "Clássico das Multidões", como é chamado o dérbi entre as duas equipes, à equipe que mais venceu o duelo em 2016. Os dois times haviam chegado ao jogo deste domingo empatados com nove pontos.
Na sequência do Brasileirão, o Santa Cruz recebe o Atlético Paranaense nesta quarta-feira, às 21 horas, no estádio do Arruda, no Recife. No dia seguinte, às 19h30, o Sport viaja até Belo Horizonte para encarar o Atlético Mineiro, no estádio Independência.
O último clássico entre as equipes no ano começou com clima de revanche para o Sport, que foi eliminado pelo Santa Cruz na Copa Sul-Americana com uma derrota por 1 a 0. No entanto, foram os visitantes que partiram para cima desde o início e conseguiram abrir o placar logo aos seis minutos. Após aproveitar bola rebatida na meia-lua, Keno cortou para o pé direito e acertou o canto esquerdo do goleiro Magrão.
Atrás no marcador, o Sport passou a maior parte do primeiro tempo tentando se organizar. Somente aos 35 minutos, o time rubro-negro conseguiu levar perigo, quando o meia Diego Souza cobrou falta na cabeça de Neto Moura, mas o goleiro Tiago Cardoso fez ótima defesa.
Dois minutos depois, mais pressão. Rogério recebeu lançamento na direita e chutou forte, mas parou nas mãos do arqueiro tricolor, que mandou para escanteio. Após a cobrança, o Sport mandou uma bola no travessão do Santa Cruz. Já aos 46 minutos, Ruiz fez Tiago Cardoso trabalhar com um difícil cabeceio e Durval, no rebote, desperdiçou chance incrível de empatar.
Após a blitz rubro-negra, os visitantes tiveram a chance de respirar no intervalo e voltaram para o segundo tempo da melhor maneira, com um gol logo no início novamente. Aos quatro minutos, João Paulo recebeu na entrada da área e chutou colocado, encobrindo Magrão para fazer 2 a 0.
Mas o Sport não se deixou abalar pelo gol sofrido e respondeu aos seis minutos com Durval. Diego Souza cobrou falta para a área e encontrou o zagueiro livre para testar para o fundo das redes. O estádio incendiou e a partida ficou aberta para os dois lados. Aos 13, o Santa Cruz mandou uma bola no travessão, em chute de João Paulo.
Aos 24 minutos, os donos da casa buscaram o empate. Ruiz foi à linha de fundo em velocidade e cruzou para a área. Mesmo sem ângulo, Rodney Wallace pegou um bonito voleio para o fundo do gol. No entanto, o Santa Cruz voltou à frente aos 26, quando Keno lançou e Bruno Morais, sozinho, cabeceou: 3 a 2 na Ilha do Retiro.
Um dos clássicos mais tradicionais do país, o Sport x Santa Cruz deste domingo ainda reservava emoção até o final. Aos 34 minutos, novamente Diego Souza cruzou e encontrou um companheiro livre para marcar. Desta vez foi Ruiz quem apareceu para testar e empatar novamente.
Como não poderia faltar, uma confusão aos 40 minutos mandou um jogador de cada time mais cedo para os vestiários. Diego Souza e Derley trocaram empurrões e provocações e, no final, os atletas rubro-negros precisaram deter o companheiro para evitar uma briga de maiores proporções.
Quando o empate de seis gols parecia de ótimo tamanho para este domingo, o Sport tratou de buscar a vitória com muita raça, mas sem deixar de lado a plasticidade das jogadas. Aos 44 minutos, após jogada de Ruiz, Vinícius apenas empurrou para as redes e virou o placar para os donos da casa.
Para fechar a festa rubro-negra na Ilha do Retiro, Everton Felipe recebeu na ponta esquerda e, aproveitando-se do arqueiro adversário adiantado, mandou de cobertura, de trivela, para selar a chuva de gols: 5 a 3 para o Sport, no último "Clássico das Multidões" de 2016.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia