Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de setembro de 2016. Atualizado às 22h24.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

rio-2016

07/09/2016 - 22h18min. Alterada em 07/09 às 22h27min

Clodoaldo Silva acende pira em cerimônia com lendas do paradesporto brasileiro

Clodoaldo coleciona 13 treze medalhas em quatro edições dos jogos

Clodoaldo coleciona 13 treze medalhas em quatro edições dos jogos


TASSO MARCELO/AFP/jC
Agência Brasil
Alguns dos maiores nomes do esporte paralímpico nacional estiveram presentes na cerimônia de abertura na noite desta quarta-feira (7), no Maracanã. O nadador brasileiro Daniel Dias surgiu em um vídeo, atravessando uma piscina projetada no centro do estádio. No entanto, a maior honraria coube a outro nadador. Clodoaldo Silva foi o responsável por acender a pira.
Um dos grandes nomes do esporte paralímpico brasileiro na atualidade, Daniel Dias já compete amanhã (8). Outra referência da delegação brasileira, a velocista Terezinha Guilhermina também participou da cerimônia, hasteando a bandeira do Comitê Paralímpico Internacional (IPC). Junto dela, estavam Amaury Veríssimo, treinador da equipe brasileira de atletismo, e a árbitra de bocha Raquel Daffre de Arroxellas, mestre em distúrbios do desenvolvimento.
Uma das grandes perguntas da cerimônia de abertura estava na identidade de quem acenderia a pira paralímpica. Clodoaldo Silva foi o escolhido. O nadador brasileiro, que faz sua última Paralimpíada no Rio de Janeiro, coleciona 13 medalhas em quatro edições dos jogos. Clodoaldo recebeu a chama de Ádria Santos, velocista recém-aposentada e atualmente subprefeita da Vila Paralímpica.
Com a tocha em mãos, o nadador aproximou-se da escadaria que dava acesso à pira e olhou para o público, como se perguntasse como subiria com sua cadeira de rodas. Então, a escadaria se abriu e transformou-se em uma rampa e Clodoaldo pode chegar à pira, igual à usada nos Jogos Olímpicos.
Em conversa com a Agência Brasil no dia anterior, na Vila Paralímpica, Clodoaldo mostrava-se muito confortável com a ideia de parar aos 37 anos. "Esta vai ser minha quinta participação paralímpica. É aqui em casa que eu quero pendurar minha sunga, né? Se os jogadores de futebol penduram a chuteira eu quero pendurar a minha sunga, se bem se eu fizer isso eu posso ser preso, né?", concluiu o nadador em meio a risos.
Os Jogos Paralímpicos 2016 estão sendo transmitidos pela TV Brasil, em parceria com emissoras da Rede Pública de Televisão dos estados. O evento, que ocorre de 7 a 18 de setembro, tem a presença de 4.350 atletas de 178 países, competindo em 22 modalidades.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia