Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de setembro de 2016. Atualizado às 22h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 28/09/2016. Alterada em 27/09 às 22h59min

Milho e sorgo em rotação ajudam a conservar o solo

Cereal é considerado alternativa para o sistema de rotação de culturas

Cereal é considerado alternativa para o sistema de rotação de culturas


ALINA SOUZA/ESPECIAL/PALÁCIO PIRATINI/JC
Estimular o plantio de milho e sorgo na rotação de culturas entre os agricultores gaúchos é uma das metas do programa "Conservar para produzir melhor", coordenado pela Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Irrigação. As vantagens dos dois tipos de cultura para a conservação do solo foram tema de palestra apresentada pelo secretário Ernani Polo, durante o 31º Congresso Nacional de Milho e Sorgo ontem, em Bento Gonçalves.
De acordo com o secretário, o milho e o sorgo são ótimas espécies para um sistema de rotação com a soja, porque o sistema radicular dessas duas culturas é mais profundo, deixando o solo mais poroso, com mais capacidade de infiltração. "O melhor local para armazenar água é no próprio solo, e o solo precisa de uma capacidade de infiltração boa para reter essa água. As raízes de milho e sorgo contribuem para esse processo de descompactação. O cuidado com o solo faz com que possamos diminuir quedas bruscas de produtividade. Acreditamos que o maior limite na produtividade hoje está no solo", explicou.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia