Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de setembro de 2016. Atualizado às 11h18.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 27/09 às 11h22min

Bovespa vai às mínimas e perde patamar dos 58 mil pontos após Nova Iorque

Depois de uma abertura lateral, a Bovespa firmou-se em queda e renovou mínimas nesta terça-feira (27) refletindo o início dos negócios em Wall Street. Com a influência dos investidores estrangeiros, que reforçaram as ordens de venda na Bolsa doméstica, o Ibovespa acabou perdendo o patamar dos 58 mil pontos, e às 10h35min recuava 0,20% (57.936,80 pontos). Em Nova Iorque, o Dow Jones perdia 0,19%, o S&P 500 recuava 0,14% e o Nasdaq tinha baixa de 0,05%.
No exterior, os investidores avaliam a repercussão do primeiro debate entre os candidatos à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton e Donald Trump. Se por um lado a vantagem da democrata traz certo alívio, por outro, a fraqueza do petróleo segue no radar e impõe cautela aos negócios.
Os contratos futuros da commodity exibem queda de mais de 2,0% na manhã em meio ao ceticismo sobre o acordo para limitar a produção em reunião informal a ser realizada na quarta-feira, na Argélia. Pesam ainda preocupações sobre a saúde financeira do Deutsche Bank.
Na agenda do dia, a expectativa é para um discurso do vice-presidente do Federal Reserve (o banco central norte-americano), Stanley Fischer, às 12h15min.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia