Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de setembro de 2016. Atualizado às 10h24.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 07/09 às 10h26min

Petróleo avança com dólar fraco, mas API e ceticismo com Opep limitam alta

Os preços do petróleo operam em alta nesta quarta-feira apoiados pela fraqueza do dólar, embora a alta seja limitada pela cautela com a possibilidade de um acordo para congelar a produção entre os países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e antes de dados de estoques nos EUA do American Petroleum Institute (API, uma associação de refinarias).
Às 8h55 (de Brasília), o Brent para novembro subia 0,78% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 47,63por barril, enquanto o WTI para outubro avançava 0,71% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 45,16 por barril.
A expectativa pelas conversas informais entre os países na Opep no final do mês, na Argélia, tem deixado os preços do petróleo voláteis. Ora os investidores se atrelam à esperança, ora acham que um congelamento é praticamente impossível por causa das discordâncias entre os países membros.
A maior dúvida se participará de um acordo de congelamento segue com o Irã. O país tem afirmado que somente irá cooperar com um acordo quando os outros exportadores reconhecerem o seu direito de aumentar sua cota no mercado para os níveis antes das sanções internacionais impostas e retiradas em janeiro.
Hoje, Seyed Mohsen Ghamsari, diretor para Assuntos Internacionais da Iranian Oil Co. Nacional (NIOC) disse que o Irã ampliou sua produção para 3,8 milhões de barris por dia desde que as sanções do Ocidente foram retiradas no início deste ano, perto de sua meta de 4 milhões de barris. "O Irã aumentará a produção de petróleo gradualmente", afirmou. Segundo ele, as exportações de petróleo do Irã devem atingir cerca de 2,2 milhões de barris por dia em setembro.
Outro ponto que deverá ficar no foco dos investidores são os dados do API, que serão conhecidos hoje às 17h30 (de Brasília).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia