Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 02 de setembro de 2016. Atualizado às 18h15.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio exterior

Alterada em 02/09 às 18h17min

Presidente tentará negociar venda de aviões Embraer à Arábia Saudita

O Brasil tem interesse em vender para os sauditas aeronaves de transporte milita e reabastecimento KC-390

O Brasil tem interesse em vender para os sauditas aeronaves de transporte milita e reabastecimento KC-390


Embraer/Divulgação/JC
Agência O Globo
Além de tentar fechar o máximo possível de negócios com os chineses, o presidente Michel Temer usará a reunião do G20 para fazer negociações paralelas. O principal interesse é atrair investimentos para a área de infraestrutura, mas outros assuntos estarão em pauta como a venda de aviões brasileiros, a relação com a Venezuela e até uma possível nova formatação do Brics (sigla do grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). De acordo com fontes ouvidas pelo Globo, a Arábia Saudita quer o apoio do Brasil para entrar no bloco, o que é visto com "bons olhos" pelos membros do grupo.
Temer conversará sobre o assunto com o vice-primeiro ministro do país, o príncipe Mohammad bin Salman Al Saud. Agradecerá o apoio da Arábia Saudita à reforma das estruturas de governança global, em especial do Conselho de Segurança das Nações Unidas. E tentará negociar com o príncipe aviões da Embraer. O Brasil tem interesse em vender para os sauditas aeronaves de transporte militar e reabastecimento KC-390.
Esse será o primeiro encontro de um chefe de Estado brasileiro com uma alta autoridade saudita desde a visita oficial do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Riade em 2009. A Arábia Saudita é o principal parceiro comercial do Brasil no Oriente Médio e é aliada dos Estados Unidos, país que já declarou apoio ao novo governo brasileiro.
Temer agradecerá o apoio da Arábia Saudita na suspensão, em novembro do ano passado, do embargo às exportações de carne bovina brasileira, medida que favoreceu o comércio bilateral.
O presidente tentará negociar as aeronaves militares da Embraer. Em reunião com o primeiro ministro italiano, Matteo Renzi, Temer aproveitará o interesse italiano na aquisição das aeronaves. A Itália já manifestou o interesse em comprar os aviões. As entregas devem começar no ano que vem. Esse é um dos itens da pauta cheia com o italiano.
Ele também pedirá o apoio da Itália à negociação de acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia. E ainda tentará atrair investimentos italianos para a área de infraestrutura no Brasil.
Com a Itália, a relação bilateral anda boa. Há dois meses, foi fechado até um acordo para o comércio de pequenas e micro empresas e cooperação de smart-ups. No entanto, Temer terá de fazer uma reaproximação com outros países.
É o caso da Espanha. Com Mariano Rajoy, presidente em exercício, Michel Temer terá uma agenda mais simples e genérica. Segundo fontes ouvidas pelo GLOBO, o presidente pedirá apoio para o acordo dos europeus com o Mercosul e investimentos.
A última vez que chefes de Estado dos dois países se reuniram foi em 2012. O governo brasileiro considera que essa é uma boa oportunidade para retomar contatos bilaterais de alto nível. Ele convidará o Rei Felipe a visitar o Brasil no ano que vem. Temer quer dobrar o comércio com a Espanha até 2025.
Com o espanhol, o presidente ainda falará sobre a situação da Venezuela. Defenderá o referendo para a manutenção ou não do presidente Nicolás Maduro no poder e dirá que a prosperidade daquele país _ que amarga a maior retração do mundo _ é importante para o Brasil. No entanto, lembrará que as relações estão suspensas e que o governo venezuelano seque aceitou as doações de remédios que o Brasil ofereceu.
Já com o primeiro ministro japonês, o interesse é a venda de carne "in natura"e frutas e investimentos em infraestrutura.Temer dirá que quer visitar o país o mais breve possível.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia