Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de setembro de 2016. Atualizado às 22h33.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Tributos

Notícia da edição impressa de 28/09/2016. Alterada em 27/09 às 18h42min

Distribuição de etanol na mira do Fisco paulista

Alta do preço do etanol hidratado deve chegar aos postos de combustíveis em 2017

Alta do preço do etanol hidratado deve chegar aos postos de combustíveis em 2017


JONATHAN HECKLER/JC
A Secretaria da Fazenda do estado de São Paulo está apertando o cerco contra as distribuidoras de combustíveis que atuam no estado, maior consumidor e produtor de etanol hidratado, e que não recolhem ICMS integralmente. Quatro distribuidoras independentes com atuação no estado - Aspen, Gran Petro, Petromais e Petrozara - estão na mira do Fisco paulista. Elas somam, juntas, dívida ativa relativa ao ICMS de quase R$ 550 milhões e são alvo de autos de infração.
Agentes do órgão estadual e da Procuradoria-Geral do estado estão intensificando as ações para controlar a atuação dessas distribuidoras e de outras empresas que são conhecidas como "devedoras contumazes" de impostos. Essas quatro distribuidoras, segundo o Fisco estadual, mantêm suas operações por meio de liminares.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia