Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de agosto de 2016. Atualizado às 14h08.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Crise Política

Alterada em 31/08 às 14h12min

Temer assistiu aprovação do impeachment no Jaburu com Padilha, Geddel e Moraes

O presidente em exercício Michel Temer, que agora será efetivado no cargo, assistiu a decisão que aprovou o impeachment de Dilma Rousseff, no Palácio do Jaburu, com os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Geddel Vieira Lima (Secretaria de governo), Alexandre Moraes (Justiça).
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que assumirá a presidência quando Temer for para a China, já que é o terceiro na linha de sucessão, participou da reunião, mas saiu por volta das 13h10min do Jaburu. Também estavam na reunião assessores e outros interlocutores do peemedebista.
Temer deve vir ao Palácio do Planalto para uma conversa com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira. Mais cedo, o Planalto havia anunciado, para as 12h30, a coletiva para a divulgação do Projeto de Lei Orçamentária de 2017 (PLOA), que traz uma meta de déficit fiscal de R$ 139 bilhões para o Governo Central e de R$ 143,1 bilhões para o setor público consolidado.
A divulgação não aconteceu ainda e deve demorar mais um pouco. Segundo uma fonte, Dyogo e Meirelles devem ir ao Congresso por volta das 14 horas e depois viriam para o Planalto.
Temer vai aguardar ainda a notificação de que foi efetivado no cargo para ir até o Plenário da Câmara para a cerimônia de posse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia