Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 28 de agosto de 2016. Atualizado às 22h26.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Impeachment

Notícia da edição impressa de 29/08/2016. Alterada em 28/08 às 22h24min

Nelson Barbosa refuta crime de Dilma em defesa

Nelson Barbosa depôs no terceiro dia do julgamento da presidente afastada

Nelson Barbosa depôs no terceiro dia do julgamento da presidente afastada


MARCELO CAMARGO/ABR/JC
O ex-ministro da Fazenda Nelson Barbosa afirmou, no terceiro dia de depoimentos do julgamento final do impeachment no Senado, no sábado, que um parecer do Tesouro Nacional, sob o comando do presidente interino Michel Temer (PMDB), atesta que as "pedaladas fiscais" de Dilma Rousseff (PT) não constituem operações de crédito.
"Se não é operação de crédito, não há o que se falar de crime de responsabilidade fiscal. Há um parecer do Tesouro Nacional, de 30 de maio de 2016, depois do afastamento da presidente Dilma Rousseff, que atesta que não é operação de crédito", afirmou Barbosa, ouvido como testemunha de defesa.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia