Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de agosto de 2016. Atualizado às 18h32.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

operação lava jato

Alterada em 24/08 às 18h32min

Executivo da OAS fica em silêncio durante depoimento na Lava Jato

O executivo Léo Pinheiro, da OAS, ficou em silêncio durante seu interrogatório na Operação Lava Jato. Frente a frente com o juiz federal Sérgio Moro, o empreiteiro disse que "por orientação dos advogados" não responderia a nenhuma pergunta.
O empreiteiro da OAS foi chamado para depor como réu em ação penal na Justiça Federal do Paraná na qual também é réu o ex-senador Gim Argello.
Léo Pinheiro, condenado a 16 anos de reclusão por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Lava Jato, teve a negociação de sua delação premiada suspensa pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A interrupção foi provocada pela divulgação de informações sobre o ministro Dias, Toffoli, do Supremo Tribunal Federal. O ministro teria sido citado por Leó Pinheiro, o que é negado pelo procurador-geral.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia