Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de agosto de 2016. Atualizado às 01h13.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2016

Notícia da edição impressa de 17/08/2016. Alterada em 16/08 às 21h22min

Direção do PV contestará decisão liminar da candidatura de Chiodo

Após garantir o registro de candidatura à prefeitura de Porto Alegre por meio de liminar, concedida na segunda-feira, Marcello Chiodo, do PV, deverá enfrentar a vontade do partido, que, em decisão da direção estadual, tomada em 5 de agosto, optou por apoiar a candidatura de Nelson Marchezan Júnior, do PSDB.
Conforme o presidente municipal do PV, Álvaro Troviscal, a decisão de lançar o nome de Chiodo, em convenção no dia 24 de julho, se daria em determinadas condições que não foram alcançadas.
Troviscal explica que o partido lançaria candidatura própria "por entender que ajudaria os candidatos da Região Metropolitana se tivesse espaço nos debates". Porém, como não conseguiram formar coligação que garantisse essa participação, optaram por mudar de rumo. "A decisão foi reavaliada, e recebemos a orientação de troca", diz, em referência à executiva estadual. O partido irá recorrer da decisão liminar.
Chiodo contesta a postura da executiva, alegando que não existe justificativa para desacatar uma decisão tomada em convenção. "Desde o início, o erro foi deles", critica, ao lembrar que a retirada do seu nome se deu no último dia de prazo para realização das convenções.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia