Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de agosto de 2016. Atualizado às 00h36.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Contas públicas

Notícia da edição impressa de 11/08/2016. Alterada em 10/08 às 22h59min

CCJ do Senado aprova reajuste de procuradores

Pela votação do colegiado, chefe da PGR receberá R$ 39,2 mil em 2017

Pela votação do colegiado, chefe da PGR receberá R$ 39,2 mil em 2017


GERALDO MAGELA/AGÊNCIA SENADO/JC
Após segurar a votação desde antes do recesso parlamentar, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou ontem o aumento do subsídio do chefe da Procuradoria-Geral da República (PGR). A medida terá um efeito cascata automático em todos os quatro ramos do Ministério Público (MP) da União (Federal, do Trabalho, Militar e do Distrito Federal) e ainda poderá servir de base para que os MPs estaduais também elevem os salários de seus membros.
Representantes dos ramos do Ministério Público da União protestavam contra o fato de o Senado ter "travado" a votação do reajuste. Inicialmente, com o argumento de impedir impactos financeiros em estados e municípios, os senadores haviam firmado um acordo para aprovar apenas aumento de servidores federais.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia