Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de agosto de 2016. Atualizado às 12h32.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Itália

Itália busca abrigos melhores para pessoas que ficaram sem casa após terremoto

Com milhares de pessoas sem casa após o forte terremoto da semana passada na Itália, autoridades discutem como providenciar abrigos melhores para os afetados que moram na região dos montes Apeninos, onde as noites são frias apesar do verão europeu.

As cerca de 2,7 mil pessoas que precisam de abrigo após os tremores de 24 de agosto estão alocadas em 58 acampamentos organizados pela agência de proteção civil italiana. Outras estão em ginásios esportivos, caso da cidade mais afetada, Amatrice.

A organização de fazendeiros da Itália, Coldiretti, afirmou nesta segunda-feira que seus animais também precisarão de abrigo durante a noite, uma vez que os 90% dos celeiros foram danificados na região.

O arquiteto italiano Renzo Piano se reuniu com o primeiro-ministro Matteo Renzi no fim de semana. Em entrevista ao jornal Corriere della Sera, ele propôs a construção de abrigos temporários de madeira próximo às principais cidades devastadas, para que os desabrigados possam ficar próximos de casa.

O número de mortes causadas pelo terremoto ficou em 290 nesta segunda-feira. Autoridades estão utilizando escavadeiras para abrir os prédios mais afetados em Amatrice.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia