Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de agosto de 2016. Atualizado às 00h43.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Iraque

Notícia da edição impressa de 11/08/2016. Alterada em 10/08 às 22h50min

Pelo menos 11 bebês morrem após incêndio em maternidade de Bagdá

Fogo no local teria sido causado por curto-circuito

Fogo no local teria sido causado por curto-circuito


SABAH ARAR/AFP/JC
Um incêndio na ala de maternidade do hospital público de Yarmouk, um dos maiores de Bagdá, matou ao menos 11 recém-nascidos. Segundo o Ministério da Saúde iraquiano, Ahmed al Rudeini, o fogo foi provocado por um curto-circuito.
O diretor do hospital, Saad Hatem Ahmed, disse que 29 pacientes mulheres e oito bebês foram transferidos para outro hospital da capital iraquiana. Pai de gêmeos que morreram no incêndio, o operário Hussein Omar, de 30 anos, soube do incêndio e foi até o hospital de Yarmouk. Funcionários pediram que ele procurasse os filhos, um casal nascido na semana passada, em outro hospital, para onde os pacientes estavam sendo transferidos. Omar não conseguiu encontrá-los e retornou a Yarmouk. Foi quando pediram a ele que procurasse os bebês no necrotério. "Eu quero meu garotinho e minha garotinha de volta. O governo tem que me devolvê-los."
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia