Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de agosto de 2016. Atualizado às 02h50.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Oriente Médio

Notícia da edição impressa de 10/08/2016. Alterada em 09/08 às 22h16min

ONU quer pausa humanitária para levar ajuda

Os confrontos pelo controle da cidade de Aleppo danificaram a infraestrutura da Síria e deixaram 2 milhões de moradores sem abastecimento de água, afirmou ontem a agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para as crianças. O alerta é feito no momento em que ativistas sírios dizem que aviões do governo têm bombardeado posições rebeldes na cidade, enquanto a ONU pede uma "pausa humanitária" nos confrontos para que as redes de eletricidade e a água possam ser reparadas.
Grupos rivais, porém, enviaram reforços a Aleppo, após opositores violarem um cerco imposto pelo governo e interromperem uma importante rota para a cidade. A batalha por Aleppo, maior cidade e coração comercial do país, é crucial para a guerra civil síria.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia