Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 26 de agosto de 2016. Atualizado às 13h47.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

segurança pública

26/08/2016 - 10h12min. Alterada em 26/08 às 13h48min

Cúpula da Segurança Pública do Rio Grande do Sul se reúne para discutir medidas

Cairoli: "Temos consciência de nossa responsabilidade, não aceitamos a criminalidade no nosso Estado"

Cairoli: "Temos consciência de nossa responsabilidade, não aceitamos a criminalidade no nosso Estado"


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A cúpula da Segurança Pública do Rio Grande do Sul realizou na manhã desta sexta-feira (26) uma reunião no Palácio Piratini, sob o comando do vice-governador José Paulo Cairoli, para discutir medidas após nova morte em tentativa de assalto em Porto Alegre, na noite dessa quinta (25).
Cairoli disse que o momento é "extremamente difícil". "Temos consciência de nossa responsabilidade, e assim como toda a população, não aceitamos a criminalidade no nosso Estado", afirmou. "Temos de reconhecer que não está bem."
O vice-governador declarou que o Estado deve seguir o plano de segurança que já havia sido lançado, mas que adiantará algumas das ações, porém sem esclarecer quais são. A base financeira destinada ao plano poderá receber algum incremento, ainda não definido. 
Depois do secretário da Segurança Pública, Wantuir Jacini, pedir demissão na noite dessa quinta, o governador José Ivo Sartori instalou um Gabinete de Crise. A primeira medida será solicitar a presença de soldados para realizar a guarda externa dos presídios.
Sartori chegou hoje cedo a Brasília para reunião de emergência com o presidente interino Michel Temer e o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. O governador conseguiu do governo federal cerca de 150 homens da Força Nacional de Segurança Pública no Estado para reforçarem a segurança.
A situação da segurança no Estado mudou após uma nova morte em tentativa de assalto em Porto Alegre, desta vez de uma mãe que buscava o filho na escola nessa quinta-feira. A morte elevou para 25 o número de latrocínios na Capital somente este ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 26/08/2016 12h21min
ISTO É BRASIL, A MORTE ESTÁ COM FOME, ESTOU COM MEDO !!!nnTemas como assaltos e mortes em várias cidades demonstram diariamente a volúpia da marginalidade em vários estilos, e tenho certeza que muitas pessoas gostariam de poder ler mais notícias sobre coisas maravilhosas, mas isto não vende jornal.nnQue DEUS possa nos proteger muito maissssssssssssssss, por que os governantes de todas as cidades e não somente aqui em Porto Alegre, realmente estão perdendo esta guerra nas ruas.nnESTOU COM MEDO !!!nnAbs. Dorian Bueno Google +, POA, 26.08.2016